O deputado federal Jesus Sérgio (PDT) enviou um ofício ao Ministério da Educação (MEC), onde apresentou uma preocupação de diversos estudantes brasileiros que cursam Medicina em universidades no exterior. Com a realidade do novo coronavírus no mundo, algumas universidades estão lecionando suas aulas online e os alunos destas instituições estrangeiras ficaram em dúvida se o MEC aceitaria revalidar o diploma contendo em sua grade curricular aulas virtuais.

No entanto, o MEC respondeu ao deputado que não tem nenhuma portaria sobre este assunto, já que o Revalida é um processo que não exige análise curricular ou de histórico acadêmico, sendo necessário e suficiente que o participante cumpra todos os requisitos de participação na Prova, conforme os ditames dispostos no edital, entre os quais ser portador de diploma de medicina expedido por Instituição de Educação Superior Estrangeira, reconhecida no país de origem pelo seu Ministério da Educação ou órgão equivalente.

“Alguns estudantes de medicina me procuraram temendo ser prejudicados na hora do Revalida por causa dessas aulas online. No entanto, o MEC tranquilizou todos eles, pois o ministério avalia o certame aplicado pelas universidades públicas brasileiras, não a grade curricular. Portanto, a modalidade de ensino de cada disciplina do curso, seja EaD ou presencial, não é considerada e os alunos podem sim participar do Exame quando obtiverem seus respectivos diplomas”, afirmou o deputado.