Por determinação do governador Gladson Cameli, foi realizada na manhã desta sexta-feira, 12, uma visita dos secretários da Casa Civil, José Ribamar Trindade, de Saúde, Alysson Bestene, e de Infraestrutura e de Desenvolvimento Urbano, Ítalo Medeiros, à obra do Hospital de Campanha de Rio Branco, que entra em sua etapa final e que será entregue para a população já na próxima segunda-feira, 15.

O Hospital de Campanha de Rio Branco terá capacidade para cem novos leitos de enfermaria. Além disso, será inaugurada também a segunda fase das instalações do Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into), com estrutura destinada ao tratamento de pessoas com Covid-19.

“Com esse hospital e todos os outros que serão inaugurados no interior, o Acre começa uma nova etapa de combate à doença que tem causado tanta dor no mundo todo. O governador Gladson Cameli não tem medido esforços na busca de recursos e na aplicação correta na Saúde do nosso estado. Aos poucos vamos dando novos passos no caminho que vai nos tirar dessa pandemia”, disse Ribamar Trindade.

Construído a um custo de quase R$ 3 milhões, com recursos do Ministério da Saúde, a unidade tem uma área total de mil metros quadrados e começou a ser levantada no dia 8 de maio, gerando 49 empregos diretos. A edificação conta com posto de enfermagem, farmácia, rouparia, depósito para material de limpeza, copa, duas salas de descanso, outras duas salas para uso a ser definido pela direção, banheiro de uso coletivo e sala de expurgo.

Alysson Bestene reforça que a estrutura alocada hoje no Into para o hospital de campanha não será temporária. Após a pandemia, a instalação ficará disponível para a saúde pública do Acre, reforçado atendimentos e aumentando o número de leitos hospitalares. 

“Essa obra pró-combate à pandemia vai aumentar nossas capacidades, mas no pós-coronavírus vamos poder fazer daqui um hospital do dia a dia, com cirurgias eletivas em quatro centro cirúrgicos anexados ao Into. Ampliamos a capacidade de UTIs no estado, saindo de 18, só no pronto-socorro, para 40 em todo o Baixo Acre. Aqui mesmo no Into temos 30 leitos de UTI e estamos ampliando em mais 20 agora, para o combate à pandemia. Esse será um legado do governador Gladson Cameli para a sociedade acreana”, conta Bestene.

O secretário de Infraestrutura, Ítalo Medeiros, destaca o desafio de engenharia e gestão que tem sido levantar um hospital de campanha na capital em tempo recorde: “Temos aqui uma obra prática. A rede de gás, as estruturas de corredores, a disposição dos leitos, o uso de pré-moldados, a rede de exaustão, tudo foi pensado para ganhar tempo. Este hospital atende todas as necessidades do paciente. Queremos dar conforto e segurança para os doentes e servidores”.

Ações não param

Diante da pandemia do coronavírus, o governo do Estado não tem medido esforços para atender a população com serviços humanizados e eficazes, desde o início tendo trabalhado para cuidar das pessoas, decretando o isolamento social antes do pico da transmissão da doença.

Foi reforçado o atendimento na UPA do Segundo Distrito exclusivamente para os pacientes de coronavírus, e abertas vagas no pronto-socorro (PS), no Into e em Cruzeiro do Sul. Em Rio Branco, o PS ampliou as vagas de UTIs e adaptou o 3º e 4º andar para tratamento semi-intensivo.

Também foi ampliado o quadro de médicos e enfermeiros na capital e interior do estado, oferecendo gratificação maior aos profissionais da linha de frente do combate à pandemia.

Foi colocada em prática uma ação de desinfecção de ruas e avenidas e adquiridos mais equipamentos como respiradores, testes, equipamentos de proteção individual (EPIs) e medicamentos para atender às vítimas da doença. Pensando nas pessoas, foi suspenso o corte de água por três meses e proposta a isenção de ICMS da conta de energia para Assembleia Legislativa do Estado (Aleac).

O governo do Estado já tem um plano para retomar a economia de todas as cidades, mantendo seu compromisso com as vidas. Trata-se do “Convivo sem Covid”, cujo objetivo é gerenciar a crise da pandemia enfrentada pela sociedade, preservando vidas e empregos.

A ideia é retomar de maneira gradual e coordenada as atividades econômicas compatíveis com o grau de evolução da pandemia, de modo a assegurar o equilíbrio racional entre as medidas de saúde pública e de execução das atividades econômicas, com o foco na preservação de vidas e das fontes de sustento das famílias acreanas.