A Prefeitura de Brasileia, por meio da Secretaria de Obras, segue no Km 59 com a operação de melhoria de ramais e construção de ponte beneficiando aproximadamente 800 famílias que dependem do ramal para o escoamento de produção e ter o direito de ir e vir com maior facilidade e segurança. Seguindo as normas legais da Resex Chico Mendes, com licenciamento ambiental para que não prejudique o meio ambiente.

A obra da ponte é uma junção de forças desencadeada pela gestão municipal, em parceria com o Governo do Estado que cedeu o bate-estaca, onde envolve além do maquinário, seis profissionais da prefeitura, mais três do Departamento de Estradas e Rodagens do Acre (DERACRE) para operar o bate-estaca e a contribuição da comunidade com matéria-prima.

Para o professor e morador da Resex no Km 59, Sebastião Mesquita, os trabalhos que a Prefeitura de Brasileia está realizando vai melhorar a vida das famílias do local. “Reconhecemos o esforço da prefeita que desde o início do seu mandato vem trabalhando para melhorar o nosso ramal. E graças a Deus esse ano ela está realizando um trabalho completo, com melhorias no ramal e reconstrução da ponte sobre o Rio Xapuri”, falou Sebastião Mesquita.

A intervenção vai facilitar o escoamento da produção rural e extrativismo, alavancando a economia local. Para Evanildo da Silva, morador há 33 anos na Reserva na comunidade Boa Vista Rio do Ouro, o seu maior entusiasmo com a recuperação do ramal é que vai permitir exportar o seu produto para a cidade. “Esse trabalho vai ser muito bom, nos garante o acesso a várias comunidades e seringais, ficando muito melhor para escoar nossa produção e colheita chegando até a cidade para venda”, destacou Evanildo da Silva. Travessia em segurança

Com recursos próprios a Prefeitura de Brasileia realiza todo o trabalho de melhorias no ramal do Km 59 e reconstrói toda a ponte sobre o Rio Xapuri, trabalhando com celeridade e eficácia aproveitando o verão amazônico.

A ponte possui ponte 48 metros de cumprimento, 17 metros de altura por 5 metros de largura. A gestão municipal vai reconstruí-la em sua totalidade, e para isso, já realizou o desvio para garantir o acesso dos moradores enquanto constrói a ponte. Anualmente somente com extrativismo, retirada de castanha e látex, a Reseva Chico Mendes no quilometro 59 gera Um milhão de reais (R$ 1.000.000,00) aos moradores.

Segundo o Engenheiro Civil do Deracre, Tadeu Castelo, a ponte terá uma durabilidade de 10 a 12 anos. “Uma ponte construída nos moldes que estamos fazendo dura de 10 a

12 anos antes de ter que fazer uma nova reforma. Esse serviço é uma parceria da Prefeitura de Brasileia com Governo do Acre, trouxemos o bate-estaca para cravar estaca dentro do leito do rio, e a estadia, alimentação, transporte e material de madeira e ferragem a prefeitura está cedendo”, ressaltou Tadeu Castelo.