O Dia – Buenos Aires – O governo de esquerda da Argentina, liderado pelo presidente Alberto Fernández, começou a discutir a taxação de maiores impostos para as grandes fortunas do país, para que o dinheiro possa ser revertido para a área da saúde e para ajudar os mais pobres a atravessar a crise econômica, agravada pela pandemia do coronavírus. As informações são da BBC.

O projeto ainda está em fase de discussão e enfrenta resistência de empresários no país, mas é apoiado pelo governo de esquerda eleito no último pleito. O imposto extraordinário seria cobrado apenas para quem tem patrimônio declarado acima de US$ 3 milhões.

Pelo Twitter, Fernández afirmou que o imposto sobre grandes fortunas será “uma ferramenta útil para enfrentar a luta contra o coronavírus”. “Somos 45 milhões de pessoas na Argentina e 12 mil pessoas concentram muita riqueza. É para essas pessoas que pediremos esse apoio excepcional para a situação difícil gerada pela pandemia. E será cobrado só uma vez”, disse ele, à emissora de televisão C5N, de Buenos Aires.