Para auxiliar no tratamento de pacientes com a Covid-19, o Hemoacre iniciou uma campanha de doação de plasma. Para este tipo de ação, o doador precisa ter contraído o vírus e estar há mais de 30 dias sem os sintomas. 

“O doador precisa, antes de tudo, se encaixar em todos os critérios de uma doação como aquela que a gente está habituado, que é o peso, a idade, intervalo entre as doações, estar bem de saúde. Adicionado a isso a pessoa tem que ter tido a Covid-19, comprovadamente, para poder passar a ser doadora de plasma convalescente”, explica a gerente de Assistência à Saúde do Hemoacre, Dra. Tereza Picado.

Seguindo um trabalho nacional de estudos, o chamamento para doação de plasma teve início há duas semanas, e pode ser agendado pelo telefone 3248-1380 das 7h às 17 horas.

“Preferimos o agendamento, pois temos aqueles cuidados para evitar aglomeração e, além do mais, conseguimos organizar melhor todo o fluxo e atender mais pessoas. Os plasmas coletados são enviados para as unidades de saúde do estado conforme solicitação médica”, acrescenta a gerente de assistência.

Estudos

O uso de plasma convalescente como tratamento experimental para Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) está sendo testado em vários estados do país. Mesmo sem a necessidade de autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a agência elaborou uma nota técnica orientando os pesquisadores e médicos quanto à forma de utilização do plasma convalescente nos testes clínicos seguindo com os devidos cuidados e controles.

Procedimento

O procedimento ocorre por meio da transfusão do plasma de sangue, que é a parte líquida dele. A terapia consiste na retirada de um paciente curado (com anticorpos) e aplicado em um indivíduo infectado (doente).