Preocupado com o aumento do endividamento das famílias no Brasil e o volume a cada ano maior dessas dívidas, o deputado federal Jesus Sérgio (PDT) encaminhou no início desta semana um requerimento de indicação ao Ministério da Educação (MEC), onde sugeriu a inclusão da disciplina de Educação Financeira, na Base Nacional Comum Curricular. 

No Brasil, cerca de 63 milhões de pessoas estão inadimplentes com ao menos uma conta a pagar, segundo pesquisa do SPC Brasil. E deste montante de inadimplentes, 75% ficariam com o pagamento das contas mensais comprometidas caso fossem quitar as dívidas em atraso. Além disso, 45% não teriam condições de pagar seu endividamento em três meses. 58% têm mais de metade do salário comprometido com contas em atraso e 75% teve o padrão de vida afetado pelas dívidas.

“Um dos principais fatores que incentiva o superendividamento dos brasileiros é a falta de educação financeira. Nesse sentido se faz necessário e urgente oferecer às novas gerações conhecimento para enfrentar crises econômicas como a atual, provocada pela pandemia da Covid-19, sem inviabilizar as finanças pessoais, que vão refletir diretamente na dificuldade de retomada econômica do país, por ter um número tão expressivo de brasileiros com restrição de crédito”, destacou Jesus Sérgio.