Auxílio emergencial beneficiou, até o mês de maio, 209.043 mil famílias no estado – Foto: Marcos Vicentti

Assessoria – O auxílio emergencial é um benefício do governo federal destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEIs), autônomos e desempregados, e tem por objetivo fornecer proteção emergencial no período de enfrentamento à crise causada pela pandemia do novo coronavírus, além de beneficiar as famílias cadastradas no programa Bolsa Família e no Cadastro Único (CadÚnico). 

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM), realizou nesta semana o levantamento das famílias beneficiadas com o auxílio emergencial no mês de abril e maio e a continuação dos cadastramentos das famílias que serão contempladas até o fim do auxílio emergencial. 

O governo federal, com o auxílio emergencial, beneficiou até o mês de maio 209.043 mil famílias no estado, com repasse financeiro no valor total de R$ 184.255.200,00 injetados na economia local. No Acre existem 138.041 mil famílias inscritas no CadÚnico, o que equivale a 478.893 mil pessoas, sendo que mais de 86 mil são beneficiárias do programa Bolsa Família. 

O benefício no valor de R$ 600 é pago para até duas pessoas da mesma família e vai durar, a princípio, por três meses. Para as famílias em que a mulher seja a única responsável (monoparental) pelas despesas da casa, o valor pago mensalmente será de R$ 1.200,00. 

“Neste atual momento de crise, ocasionado pelo alastramento da pandemia e consequente estado de calamidade pública, o auxílio emergencial financeiro do governo federal é fundamental para as famílias, sobretudo as mais vulneráveis. Neste contexto de saúde, dificuldades econômicas e sociais, serve como um dos meios subsistência dessas pessoas, além de diminuir os impactos da crise no nosso estado”, explicou a secretária de Estado, Ana Paula Lima. 

Secretária de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres, Ana Paula Lima – Foto: Neto Lucena

O auxílio foi criado em abril, com previsão original de ser pago em três parcelas de R$ 600, até o mês de junho. No Acre, cerca de 88.005 mil famílias que estavam suspensas do programa Bolsa Família foram beneficiadas. Já 39.305 famílias que fazem parte do CadÚnico receberam o auxílio, e 81.733 mil famílias, que são os trabalhadores informais que ficaram sem renda na pandemia e fizeram seu cadastro pelo aplicativo, receberam o benefício no Estado do Acre, chegando ao valor total de 261.667 mil famílias alcançadas. 

Para o diretor de Políticas de Assistência Social da SEASDHM, Sandro Rocha, é importante destacar que além do auxílio emergencial do governo federal, há várias medidas complementares dentro do estado desenvolvidas pelo governador Gladson Cameli, por intermédio do Gabinete da Primeira-Dama e da SEASDHM, a fim de mitigar os danos causados pela pandemia. 

“Neste momento é de grande importância apoiarmos as pessoas vulneráveis, todos os que foram diretamente atingidos por essa pandemia. Esse auxílio é uma garantia para os que mais precisam e o nosso trabalho é informar, auxiliar e ajudar todos os municípios do nosso Estado”, ressaltou o diretor de Políticas de Assistência Social da SEASDHM, Sandro Rocha. 

O programa 

O Bolsa Família é um programa que contribui para o combate à pobreza e à desigualdade no Brasil, sendo um dos principais responsáveis por integrar várias famílias ao mercado consumidor. 

O CadÚnico é o instrumento do governo federal para inserção das famílias nas políticas sociais.