A Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esportes (SEE) se prepara para o retorno das aulas presenciais. Conforme anunciado pelo governador Gladson Cameli, a estimativa é de que as escolas voltem a receber os alunos no início de setembro, a depender do cenário de evolução da pandemia no estado. 

De acordo com a diretora de Ensino da SEE, Denise dos Santos, a equipe já prepara um curso de formação continuada no formato de Ensino a Distância para os diretores escolares e professores com as recomendações do retorno. “A previsão é de que iniciemos a formação em julho para as equipes gestoras e professores por meio de webconferências e da platafroma educ.see.ac.gov.br”, explica.  

Quanto à readequação do calendário letivo de 2020, a diretora calcula que, com o retorno em setembro, as aulas deverão seguir até fevereiro do próximo ano. Já o início do ano letivo de 2021 fica previsto para abril do mesmo ano.  

Segundo o secretário de Educação, Mauro Sérgio Cruz, a secretaria trabalha para que o retorno às aulas se dê em um ambiente seguro para os alunos e profissionais da Educação. “Nós estamos considerando os critérios epidemiológicos, de distanciamento social, bem como as ações de prevenção. Queremos que nosso aluno se sinta seguro dentro da escola”, afirma.

Além dos gestores e professores, os demais funcionários também serão orientados sobre as medidas de higienização e treinados para ajudar os alunos. Antes de as aulas retornarem, todas as escolas serão desinfectadas, trabalho que será feito em parceria com o Depasa.  

A SEE também já realiza cotações para a compra de máscaras de tecido que serão distribuídas aos alunos. Cada estudante receberá duas máscaras. Às escolas serão distribuídos álcool em gel 70% para uso dos alunos e funcionários. Outra medida que está sendo estudada é a possibilidade da instalação de pias para higienização das mãos em pontos estratégicos das unidades escolares.  

Com o início das aulas, os estudantes terão acesso a palestras e materiais informativos para a prevenção da Covid-19. Outras medidas estratégicas e sanitárias ainda estão sendo discutidas pela equipe da secretaria, entidades educacionais e de saúde.  

Enquanto as aulas presenciais não começam  

Com as aulas presenciais suspensas, a SEE investiu em aulas a distância. Um trabalho desenvolvido com todas as escolas da rede, dedicação dos gestores escolares, professores e pais de alunos. A medida, que não tem pretensão de substituir a sala de aula, proporciona aos estudantes a oportunidade de continuar o contato com os conteúdos curriculares, mesmo durante o isolamento social.  

E, para complementar o trabalho que já vem sendo desenvolvido, a partir do dia 22 de junho serão exibidas videoaulas no canal de TV Amazon Sat. Também serão veiculadas aulas em áudio pelas rádios Difusora e Aldeia para todo o estado. Justamente por ter como canais de transmissão as rádios e a TV aberta, o programa recebeu o nome “Educação em ondas, Acre conectado”. 

A diretora de Ensino explica ainda que as videoaulas serão direcionadas aos estudantes moradores de áreas urbanas, que têm a possibilidade de acesso à internet. Já as aulas veiculadas pelas rádios têm como público-alvo os alunos do campo. A programação terá duração de três horas pela manhã e duas pela tarde, na TV. Já as rádios transmitirão as aulas nos três turnos, duas horas por turno.  

Mesmo as aulas presenciais retornando em setembro, a programação continuará sendo veiculada pelo menos até dezembro. Durante o desenvolvimento das atividades das aulas não presenciais, a SEE esteve em constante diálogo com o Conselho Estadual de Educação. Todo o trabalho desenvolvido remotamente será computado em 20% da carga-horária letiva, medida já aprovada pelos conselhos Estadual e Nacional de Educação. 

Aos pais e alunos, a diretora deixa um recado: “Organizem a agenda e acompanhem todo esse trabalho que está sendo desenvolvido com muito carinho para os nossos alunos”.