O juiz de Direito da 1ª Vara da Fazenda Pública, Anastácio Lima de Menezes Filho, praticamente deu um “chega-pra-lá” na deputada federal Mara Rocha (PSDB) em decisão sobre ação popular movida por ela, no dia 18 de maio, contra a Prefeitura de Rio Branco, solicitando a suspensão do rodízio de veículos implantado por determinação da prefeita Socorro Neri.

“Mais parece que a ação popular está sendo utilizada para atacar a opção política levada a termo pela senhora prefeita do Município de Rio Branco. Desta forma, a autora deverá não apenas se manifestar sobre a preliminar, como também indicar claramente a subsunção do seu caso concreto a uma das hipóteses permissivas de impetração previstas nos dispositivos já citados”, disse Anastácio Lima em despacho datado do último dia 30 de maio.

Antes, ele afirma: “Realmente, está parecendo que esta ação popular não se enquadra em nenhuma das hipóteses previstas nos artigos 1º da Lei Federal n.º 4717/65 e no artigo 5º, LXXIII, da Constituição da República”. E determina que a parte autora seja intimada para, no prazo de 10 dias, se manifestar sobre a preliminar levantada pelo Município de Rio Branco”.

A deputada Mara Rocha, em sua ação, alegou que a medida que instituiu o rodízio de veículos era ilegal e que carecia de embasamento científico, bem o decreto regulamentador e a Prefeitura não acompanhou a medida com estudos, dados, informações e demais subsídios que dão suporte à medida.

Sabotagem das medidas do Governo e da Prefeitura. “Esse decreto é um absurdo e coloca em risco a saúde da população e aumentará o número de contaminação por coronavírus”, afirmou a parlamentar.

A deputada Mara Rocha é irmã do vice-governador Major Rocha. Mara, no entanto, vem tentando sabotar as medidas adotadas pelo governo do irmão. Ela foi uma das primeiras vozes a se posicionar contra o isolamento social que restringe as atividades econômicas à aquelas exclusivamente essenciais.

Depois da ação popular citada acima, ela agora quer que os motoristas flagrados em desobediência ao rodízio, tenham suas multas perdoadas.