Em reunião Conjunta das Comissões da ALEAC antes da sessão ordinária, onde deputados discutiam detalhes do Projeto de Lei que cria o Instituto de Saúde do Acre terminou em acusações e muita discussão entre deputados da oposição e o relator José Bestene (Progressistas).

O deputado Jenilson Leite (PSB) criticou o relator Bestene, aquém acusou de burlar a votação de uma emenda, onde sugeria que os servidores do Pronto Socorro ficassem de fora da sessão de servidores ao Instituto que será criado.

Quando a votação iria ser favorável à emenda do parlamentar, o Líder do governo Gerlen Diniz sugeriu que o relator aceitasse um voto do deputado Neném Almeida (PSD), que sequer estava na plataforma de reunião das comissões.

Bestene aceitou o voto por mensagem de Neném enviado ao deputado Gerlen causando indignação aos deputados da oposição.

“O senhor estra burlando o processo e contra o regimento da casa deputado, o Neném sequer estar na reunião, isso é tratorar, simplesmente porque estão perdendo a votação. Acatem minha emenda e derrubem no plenário, lá vocês têm maioria”, disparou Jenilson Leite.

Calegário (sem partido) também questionou a postura de Gerlen e Beste, alegando que eles estavam tratando o processo de maneira irresponsável.

O Governo vai criar o Instituto de Saúde, assim remanejar os mais de 700 servidores do Pró-Saúde do Acre, além de terceirizar a gestão de algumas unidades de saúde do Estado.