Depois que Assembleia Legislativa aprovou auxílio Temporário no valor de R$ 420,00 para servidores da saúde e segurança pública que estão na linha de frente do Covid-19, o SINTEAC reivindicou que o benefício fosse estendido aos servidores da educação.

Para a presidente do Sindicato da categoria Professora Rosana Nascimento, apesar de não estarem atuando na linha de frente no combate ao Covid-19, os mesmos estão sobrecarregados e trabalhando de suas casas.

“Os professores também têm feito um grande esforço nesta pandemia com as aulas remotas e as orientações para que os alunos obedeçam ao isolamento social. Não é fácil criar estas aulas e se adaptar ao dia-a-dia, pois precisam criar vários recursos e ainda produzir apostilas para os alunos carentes que não têm acesso à internet”, concluiu.

A reivindicação da líder sindical não foi bem recebida na opinião pública, nem mesmo dentre a categoria. Rosana recebeu inúmeras críticas nas redes sociais.

Alguns professores acham que mesmo não sendo valorizados pelo governo, este não é o momento para fazer essa cobrança, pois mesmo aplicando aulas de maneira virtual, os professores não estão expostos aos riscos como outras categorias.

Veja alguns comentários de servidores em educação, que são contrários a proposta apresentada pelo SINTEAC;