Assessoria – Governadores de vários estados brasileiros e do Distrito Federal participaram nesta quarta-feira, 20, de uma videoconferência para debater as demandas que serão apresentadas ao presidente da República, Jair Bolsonaro, nesta quinta-feira, 21.

O projeto de lei que prevê o congelamento salarial de servidores públicos até 2021, a flexibilização da abertura gradual do comércio, protocolos de tratamento do novo coronavírus e a revogação da Lei Kandir, que dispõe sobre o ICMS, foram os principais assuntos debatidos pelos gestores e que serão apresentados ao presidente.

Para Gladson Cameli, o diálogo entre todos os governadores do país se faz necessário, sobretudo neste momento de crise causado pela pandemia de Covid-19: “De norte a sul, todos os estados estão passando pela mesma situação. Como representantes do povo, temos que nos unir mais do que nunca para que possamos tomar as melhores decisões e vencer essa guerra o quanto antes”, enfatizou.

Sobre a reunião com Jair Bolsonaro, Cameli afirmou que levará as principais demandas do Acre ao chefe maior do Estado brasileiro, principalmente no que diz respeito ao enfrentamento do coronavírus. Gladson lembrou ainda que o governo federal é um parceiro e espera que as solicitações sejam atendidas em prol da população.

“Essa é mais uma oportunidade de apresentarmos ao presidente tudo aquilo que estamos precisando e tenho certeza que os nossos pedidos serão avaliados com atenção pelo governo federal. A nossa prioridade está sendo salvar vidas e vou pedir apoio máximo para que possamos ampliar ainda mais a nossa estrutura de Saúde no combate ao coronavírus”, pontuou.

Os secretários da Casa Civil, Ribamar Trindade; da Fazenda, Wanessa Brandão; e de Planejamento e Gestão, Ricardo Brandão, também acompanharam a videoconferência ao lado do governador Gladson Cameli.