Em Rio Branco, nesta terça-feira (12), confirmou que há, pelo menos, cinco casos confirmados da doença entre os funcionários na capital e uma denúncia aponta ainda que a empresa estaria sendo negligente com o trato às pessoas que testaram positivo para a doença.

Informações repassadas apontam que os funcionários, mesmo com sintomas, estariam sendo obrigados a trabalhar. Ao todo, cinco funcionários testaram positivo para a doença, mas, de acordo com a denúncia, a empresa não teria deixado funcionários que tiveram contato com os casos positivos em quarentena.

Pessoas do grupo também estão trabalhando normalmente, segundo denúncias.

A preocupação é porque centenas de trabalhadores dessas empresas costumam ficar aglomerados nas linhas de produção e em outros ambientes da unidade, o que facilitaria a propagação da doença.

Nos Estados Unidos, os frigoríficos se tornaram um dos focos da doença. Cerca de 20 unidades do país tiveram de paralisar suas operações, o que fez o presidente Donald Trump acionar uma lei de guerra para que as empresas voltassem a funcionar.

Empresa nega

A JBS, por meio de nota, informou que houve casos positivos, mas que não poderia passar os números e alegou que tem seguido o protocolo do órgãos de Saúde.

“No caso em que um colaborador da JBS teste positivo para Covid-19, a empresa prestará imediato atendimento e total apoio, com acompanhamento integral, até seu pronto restabelecimento. Nesse período, conforme orientam os órgãos de saúde, o colaborador será afastado de suas atividades. Além disso, a empresa inclui como protocolo a total desinfecção e sanitização das áreas comuns e do local em que o profissional trabalha, além do monitoramento integral e sistemático dos colaboradores, incluindo a medição diária da temperatura e sistema permanente de atendimento ambulatorial na unidade”, diz a nota.

A empresa destaca ainda que implantou algumas medidas de segurança, como aferição de temperatura e distanciamento mínimo em áreas comuns, como refeitório.

Destaca ainda que, nesta terça-feira, iniciou a campanha de vacinação contra H1N1 para colaboradores, terceirizados e também caminhoneiros. A vacina não combate o coronavírus, mas protege contra outros vírus gripais.

Como forma de expandir os cuidados da empresa à população, a JBS fará a doação de R$ 700 milhões ao enfrentamento da Covid-19. Desse total, R$ 400 milhões serão destinados ao Brasil para 162 cidades e 17 estados.

Por Tácita Muniz, G1 Acre