Por videoconferência, o prefeito municipal, Antonio Barbosa (Zum), participou, na tarde desta sexta-feira (08), de uma reunião com mais 15 prefeitos, a presidente da Associação dos Municípios do Acre (Amac), Socorro Neri e governador estadual Gladson Cameli. 

O valor inclui repasses diretos e suspensão de dívidas com a União até dezembro deste ano. Além de ser uma assistência emergencial, o programa tem o objetivo de diminuir os impactos da crise causada pela pandemia do coronavírus.

O valor do repasse da União a estados e municípios somam R$ 60 bilhões, desse total, R$ 10 bilhões devem ser destinados a ações na área da saúde e assistência social. Para o Acre serão destinados cerca de R$ 522 milhões, sendo que o critério de distribuição será o tamanho da população.

O governador Gladson Cameli falou sobre os 1.117 casos de Covid-19 confirmados no estado, que somente em Rio Branco totalizam 994 pacientes infectados pelo vírus. “Eu peço a Deus todos os dias que as pessoas se conscientizem, a situação é de calamidade, eu vejo muitas pessoas preocupadas com política, eu peço que cada prefeito tenha consciência da gravidade que é a pandemia”, declarou.

Cameli ainda disse que o discurso entre municípios e estado deve ser aberto e destacou a importância da união com cada gestor neste momento. “Secretários tenham um diálogo aberto com nossos prefeitos, digam quais demandas poderão atender. Atualize e libere o que for possível para nossas pendências. Eu estou precisando de vocês prefeitos, que a gente converse e se ajude”, disse.

O programa Ramais do Acre também foi mencionado na reunião. o governador explicou que com o avanço da pandemia, medidas mais restritivas poderão ser adotadas, como por exemplo, o lockdown, que é um isolamento mais rígido, com isso, o assunto será discutido em breve, baseado nas próximas decisões relacionadas ao coronavírus.