A sessão da Aleac desta terça-feira 28 mesmo sendo on-line foi quente, isso por conta da discussão acerca da possível criação do Instituto de Saúde do Acre, proposta que será enviada pelo governador Gladson Cameli e que segundo a oposição é uma terceirização da gestão de saúde no estado.

O líder do governo deputado Gerlen Diniz, afirma que o governo encontrou na criação do Instituto uma alternativa de regularizar e manter os trabalhadores do Pró-Saúde, estes que receberam a promessa ainda em campanha pelo próprio Gladson, que seriam regularizados tão logo ele assumisse.

Jenilson pediu para que o líder do governo tivesse mais respeito pelos sindicalistas da categoria, que foram acusados pelo deputado de provocar pânico e espalhar boatos entre a categoria.

Em parte de sua fala o deputado Jenilson Leite colocou um vídeo na tela, para que Gerlen recordasse de quando criminalizava o projeto, este apresentado pelo então governador Tião Viana e rejeitado pela casa, tendo o hoje líder do governo; como um dos que mais trabalharam para o projeto não passar.

“Eu vou mostrar um vídeo para mostrar sua campanha contra a terceirização da saúde deputado Gerlen, porque muito me estranha sua postura mudar radicalmente, sendo que a proposta é a mesma”, disse Jenilson.

O apelo de alguns deputados, foi para que o governador aguarde mais um pouco e só faça esse debate quando o período crítico melhorar um pouco mais.

Jenilson afirmou que estranha a pressa em querer terceirizar a gestão da saúde, principalmente em um período tão difícil que o estado atravessa. Ainda de acordo com o parlamentar, o governo não pode alegar que bateu o teto da Lei de Responsabilidade Fiscal, que por conta do estado de calamidade pode muito bem ser flexibilizada.

A sessão desta quarta-feira promete mais acirramento, esta com início marcado para as 10:00 horas da manhã.

Veja o Vídeo: