A Saúde confirmou, no domingo (19), o primeiro caso de Covid-19 entre os presos de Rio Branco. Depois do anúncio, o Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) informou que mais sete presos do Complexo Prisional Francisco de Oliveira Conde fizeram o exame e estão aguardando o resultado.

Além disso, o sistema penitenciário tem nove policiais penais diagnosticados com a doença, sendo que apenas um teve alta. O Iapen disse ainda que chegou a afastar 69 servidores que estão no grupo de risco.

Em nota, a gestão explicou que o preso, que teve o exame confirmado, tem 34 anos e cumpre pena desde 2018 e estava no pavilhão Q, destinado ao isolamento, desde quinta-feira (16), quando passou a ser considerado caso suspeito da doença.

Antes disso, ele estava no pavilhão A, onde teve contato com mais 26 presos. Destes, sete foram levados à unidade de saúde para fazer exame. Os outros 19 permanecem no pavilhão de isolamento e estão assintomáticos, segundo o Iapen.

Todos os presos são acompanhados pela Vigilância Epidemiológica, segundo a direção, e devem fazer todas as avaliações necessárias.

“Os familiares foram informados a respeito da situação de saúde do preso que recebeu resultado positivo por meio da equipe técnica do presídio e também receberão as informações referentes à evolução do quadro do paciente sempre que este for atualizado”, garante o diretor do Iapen, Arlenilson Cunha, em nota.

 O Ministério Público do estado (MP-AC) havia recomendado algumas ações que deveriam ser tomadas pelo Iapen que já tinha adotado algumas medidas, conforme anunciou na época.

As visitas nas unidades prisionais estão suspensas desde o último dia 17 de março, seguindo até o próximo dia 25 de abril. Vale destacar também que presas da unidade feminina de Rio Branco estão confeccionando máscaras para o uso dentro das unidades do estado.

Medidas adotadas:

  • Manter os presos em suspeita da doença em alojamento separado até atendimento;
  • Realizar a limpeza e desinfecção das superfícies das celas, alojamentos e de outros ambientes utilizados por servidores e presos;
  • Suspensão de atendimento de advogados suspensas, a menos que seja comprovada a necessidade de urgência ou que envolvam prazos processuais;
  • Suspensão temporária de transferência interestadual de presos.

Além disso, dois pavilhões foram separados para receber os presos que derem entrada na unidade de Rio Branco durante o período de emergência, onde serão submetidos a isolamento e triagem. A mesma regra vale para o interior do estado.

As aulas estão suspensas dentro dos presídios e os trabalhos externos também, exceto as que são desenvolvidas na Unidade Penitenciária (UP-4), onde são feitos o trabalho de roçagem e manejo de hortaliças. Do G1 Acre