No dia seguinte aprovação do PL que pode garantir a suspensão dos empréstimos consignados de todos os servidores públicos estaduais por um período de 90 dias, representantes do Banco do Brasil e da Caixa Econômica, estiveram em reunião com a Secretaria de Estado da Casa Civil, Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e Secretaria de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict) do governo.

Acuados por uma lei que pode amenizar a vida financeira de milhares de famílias, os banqueiros tentaram afirmar que as instituições financeiras estão abertas para renegociações de consignados através dos canais digitais, segundo falou o representante da Caixa.

O Representante do Banco do Brasil falou da disponibilidade que a instituição deu, em concessão / renovação dos empréstimos com aplicação de carência de até seis meses já estão entre os serviços oferecidos aos servidores públicos clientes do Banco do Brasil”, disse ele.

Acontece que esses serviços são totalmente diferentes do que propõe a lei aprovada, que além da suspensão por 90 dias, não estabelece multa alguma para aqueles que forem beneficiados.

Na conversa eles ainda tentam afirmar que os contratos são celebrados entre clientes e Bancos e que são regidos por lei federal, uma tentativa de intimidar o governo a tomar uma decisão favorável aos trabalhadores.

Banco nenhum celebra contratos de empréstimos ou qualquer outra modalidade, se não tiver as garantis do ente pagador, no caso o estado, que é a fonte pagadora e os dirigentes bancários sabem disso.

Ajudar na crise como a lei propõe é diferente do que os bancos oferecem, por isso a lei estabelece as normas, para os bancos e financeiras não saírem dessa crise ainda mais trilhonários.

Em reunião com senador Sérgio Petecão e o deputado Edvaldo Magalhães (autor da lei), o governador Gladson Cameli garantiu que sancionaria a lei, o que foi comemorada por milhares de servidores públicos nas redes sociais.

Na cidade de Bujari, o prefeito Romualdo Araújo sancionou na sexta-feira (03), um projeto semelhante a este que foi aprovado na ALEAC. Os servidores municipais da prefeitura de Bujari, terão suas parcelas de empréstimos consignados suspensas por 90 dias.