Enquanto alguns gestores estão em ação para conter o avanço da Pandemia do Coronavírus, outros olham para o calendário eleitoral e correm para formar suas alianças, uma delas causou espanto em Cruzeiro do Sul.

Uma matéria que foi veiculada no site Notícias da Hora causou bastante alvoroço nos bastidores da política, pois mostrava uma possível aliança entre o MDB e PSDB na disputa de Cruzeiro do Sul. O que tem de errado nisso? Nada, acontece que Vagner Sales e Werles Rocha eram como água e óleo, viraram inimigos em um episódio que gerou um dos processos judiciais mais badalados da eleição de 2016.

Na quela época, o PSDB tinha Henrique Afonso como adversário do MDB, que concorria com Ilderlei Cordeiro e foi nessa disputa que Vagner foi taxado por Rocha de tentar comprar candidaturas e lideranças do PSDB, para esvaziar a candidatura de Henrique.

A confusão foi grande, teve gravações e prisões do secretário de Planejamento de Vagner Sales e do dirigente tucano local, ambos acusados de a mando de Vagner Sales tentarem a manobra.

Rocha desceu em Cruzeiro do Sul, denunciou o esquema publicamente e fez graves acusações contra o ex-prefeito, o que inclusive virou processo de cassação da chapa Ilderlei e Zequinha Lima, que sagrou-se vitoriosa e até hoje luta na justiça para concluir o mandato e provar que nada tem a ver com caso.

Veja o que disse Rocha ao denunciar o MDBista;

“Tem pessoas que acham que todo mundo tem preço”.

Cruzeiro do Sul pode ser tomada como Marco contra a corrupção eleitoral, um grupo político que já está no poder há muito tempo e que usando de recursos escusos para comprar a consciência das pessoas, para comprar candidatos a vereador, para desmontar chapas e para tentar impor a continuidade de um projeto que já está ai há muito tempo.

Mas pior que isso: esse recurso que é usado para comprar votos, vereadores e pessoas, faz falta nos postos de saúde. Quando a pessoa vai no posto e não tem o medicamento. Faz falta na merenda das escolas, na educação, na estruturação do município, na pavimentação de vias, disse.

Na possível aliança, Rocha indicaria o presidente da Associação Comercial Luiz Cunha, que tem apoio do colega Neto do Cohab, que até bem poucos dias havia anunciado sua pré-candidatura, mas que abriu mão para uma aliança entre Tucanos e MDBistas.

O governador Gladson Cameli, deve se concentrar nas ações do combate ao Coronavírus, mas ao término deve sim intervir nas articulações do seu partido e certamente tentar eleger o prefeito de sua cidade natal.

Em suas entrevistas, o governador tem dito que seu candidato é o atual prefeito Ilderlei Cordeiro, a quem tem uma amizade de longas datas e o ver como um dos melhores gestores do estado.