Uma cartilha feita pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, comandado por Damares Alves, recomenda o trabalho virtual a “profissionais do sexo” durante a pandemia do coronavírus. O material, divulgado hoje, é voltado para o público LGBT e traz orientações sobre como se proteger da covid-19.

O texto diz que “trabalhadores autônomos, profissionais do sexo e pessoas sem renda fixa infelizmente são mais prejudicados durante as recomendações de quarentena” e sugere: “Mas não é na crise que nascem as boas ideias? Se tiver que trabalhar, converse com seus clientes, tente a opção do serviço virtual”.

A cartilha também vai contra a retomada das atividades defendida pelo presidente Jair Bolsonaro e diz que é “importante manter o isolamento social”. Além disso, destaca que “não há cura milagrosa” e aponta o Ministério da Saúde como fonte de informação. Fonte: G1