Em matéria veiculada no programa Café com Notícias, da TV 5 e apresentado pelo jornalista Washignton Aquino, mostra detalhadamente o que aconteceu no parlamento acreano, trata-se de uma imoralidade, mas não ilegalidade. É algo que não deveria ter sido feito principalmente em tempos de dificuldade coletiva de um povo e tamanha crise econômica.

Lianna Vasconcelos fala em nome da comissão de servidores efetivos da Assembleia Legislativa do Estado do Acre (ALEAC), que segundo ela, o presidente da categoria não pode falar, pois é um dos que foram agraciados pelo gordo aumento.

Os salários com todas as gratificações e auxílios chegam a R$ 20 mil reais mensais, o que causou indignação nos demais quase 500 servidores, que reclamam da defasagem salarial.

A servidora acusa a presidência do Poder Legislativo, na pessoa do Presidente, deputado Nicolau Junior, de se aproveitar do período de isolamento e distração causado pelo Coronavírus e em meio a uma crise política e social, para aprovar o projeto que beneficiará somente 25 pessoas apadrinhados políticos, com valores exorbitantes pagos pelo erário público.

Ela acusa o presidente do Sindicato da categoria de negligência, até por ser um dos beneficiados. Com auxílios e gratificações, os salários do escalão de cima da Assembleia, variam de R$ 10 a 20 mil mensais.

Lianna diz que o vencimento de servidores da casa se encontra defasados e que uma campanha incentivada por alguns, jogou a sociedade contra a luta deles por melhorias.

Sendo farinha do mesmo saco, a ALEAC votou e aprovou o projeto 3.617 no dia 24 de março em plena quarentena social, mas que por uma causa boa para o bolso dos contemplados, a casa fez esse esforço e o governador Gladson Cameli sancionou de imediato, sabendo do que se tratava.

Como respondeu a assessoria da Casa para o jornalista Washignton Aquino, a mesa diretora regulamentou os salários tudo dentro da lei. É verdade!!!! Mas será mesmo que este seria o momento para isso? E será que esses servidores não recebem valores suficiente para exercer os cargos correspondentes?

Nem sempre o legal é moral. Pois o que se vê é uma pouca vergonha, pois se realmente o Poder Legislativo pensasse mesmo no povo, jamais faria um projeto para beneficiar eles mesmo, mais do que já são beneficiados, e sim um projeto para o governo auxiliar as famílias em situação de vulnerabilidade com valor digno para se manter.

Mas o que se vê é a ambição valando mais alto, a desigualdade social crescendo cada dia mais, e muito dinheiro no bolço de uns e nada no bolso de quem realmente precisa, e pior, um governador que é conveniente com tamanha falta de respeito com o povo. Isso é que é BRASIL!!!!

Tentamos contato com o presidente da Aleac, Nicolau Junior para que o mesmo se explicasse perante esta situação vergonhosa, mas não obtivemos sucesso até a publicação desta matéria.

Assista o vídeo Completo da matéria;