Assessoria – As aulas das escolas públicas estaduais do Acre estão suspensas, porém o trabalho da equipe de Ensino da Secretaria de Educação, Cultura e Esportes continua a todo vapor. 

Essas atividades estarão à disposição dos estudantes a partir das próximas semanas via internet. A secretaria também negocia a possibilidade da oferta de videoaulas por meio de um canal de TV, semelhante ao que já vem ocorrendo no estado do Amazonas.

Aos alunos que não têm acesso a essas tecnologias, a estratégia de estudo em casa poderá ser feita por meio de roteiros de estudos, lista de exercícios e aulas programadas que serão amplamente divulgadas pelas escolas.

“Nós não queremos que os alunos se sintam, em hipótese nenhuma, abandonados pela escola. As equipes gestoras estão em diálogo constante com a Diretoria de Ensino da Secretaria de Educação e os nossos profissionais já começaram a elaborar todo um cronograma”, afirma o secretário Mauro Sérgio Cruz.

Para que essas ações funcionem efetivamente, atividades formativas e de orientação serão oferecidas aos professores da rede estadual abordando o uso de tecnologias e estratégias pedagógicas para ampliar a possibilidade de aprendizagem dos alunos em casa.

A Educação também dialoga com o Conselho Estadual de Educação (CEE) a possibilidade de que as horas estudadas em casa possam ser somadas à carga horária letiva. Além disso, a secretaria estuda novas propostas de calendários. Tudo de acordo com a Resolução 142/2020 publicada nesta semana pelo CEE.

Sobre a merenda escolar

Atualmente, a Secretaria de Educação estuda a possibilidade de doação da merenda escolar para as famílias dos alunos de baixa renda. De acordo com o último Censo Escolar, dos quase 150 mil estudantes da rede estadual, 110 mil são beneficiários do Programa Bolsa Família.

A expectativa maior, no entanto, é que essa regulamentação venha do governo federal, por meio do Projeto de Lei 786/20 que prevê a distribuição de merenda escolar aos alunos caso as escolas estejam fechadas por motivo de calamidade pública, já aprovado na Câmara nesta quarta, 25. O texto ainda aguarda aprovação do Senado e sanção presidencial.