Para conter a pandemia da Covid-19 que assola o Brasil e vários países do mundo, o Governo do Acre agiu rápido e sancionou, em 17 de março, o Decreto 5.465, com uma série de medidas para proteger a saúde do povo acreano. Na ocasião da promulgação, ainda não havia casos de coronavírus no estado, mas já era recomendado o distanciamento social e, conforme os dias foram transcorridos, bares, clubes sociais, restaurantes, repartições públicas e demais lugares de atendimento ao público tiveram que ser temporariamente fechados por recomendações de órgãos de saúde.

Neste contexto, mulheres empresárias rurais de Bujari, fornecedoras de frutas, hortaliças e outros produtos, dependem das vendas em feiras no fim de semana para o sustento de suas famílias. Na semana passada, com muito custo, conseguiram vender parte da produção, evitando um grande desperdício de alimentos e prejuízos financeiros.

Para seguirem com a renda semanal e ainda seguir as diretrizes governamentais e nacionais, elas resolveram lançar mão de uma ideia que estava sendo planejada para o verão, mas devido ao fechamento das feiras, será iniciado nos próximos dias a entrega de produtos em domicílio, projeto debatido inicialmente no II Encontro de Mulheres Empresárias Rurais de Baixas Emissões da Região MAP, evento realizado há duas semanas em Rio Branco.

Geovana Castelo Branco, uma das idealizadoras da iniciativa, faz parte do assentamento Walteraci, e explica como irá funcionar o serviço de delivery: “Nós já pensávamos em outras formas de venda além das feiras, e o serviço de entrega em casa estava sendo cogitado para o verão, época mais fácil de escoar a produção. Com essa crise, tivemos que pôr em prática o projeto antes por necessidade, por isso procuramos o José (Gondim, diretor da Companhia de Desenvolvimento e Serviços Ambientais do Acre) para nos ajudar na execução disso”.

A empresária ressalta que o serviço funciona da seguinte forma: o cliente liga para o número (68) 999348410, faz a encomenda e a entrega é feita na casa do comprador, com pagamento via transferência bancária ou no ato da entrega – a máquina para aceitar cartões está sendo providenciada. “É simples, o cliente pede e nós entregamos. Só pedimos que os pedidos sejam feitos até quinta ou sexta-feira, para organizarmos a produção”, conta. O assentamento Antonio Holanda também participa das entregas delivery.

Dentre as diversas opções produzidas pelas empresárias rurais, estão frutas (como banana, tangerina, limão e mamão), vegetais e hortaliças (como macaxeira, inhame, taioba, farinha branca, gergelim, massa de banana, arroz, maxixe e chicória), além da venda de geleias, galinha caipira, peixe, tucupi e pato.

Outra ação visando a conexão de mercados consumidores nestes dias de isolamento social por conta da Covid-19 é a criação do aplicativo Conecta Vida – Alimentos Saudáveis. O aplicativo está sendo desenvolvido pela CDSA S/A Acre, Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Regional (Sedur), com apoio do Gabinete da primeira dama, Ana Paula Cameli, e deve ser divulgado ao público em breve.

“Esse trabalho será realizado por meio de aplicativo e atendimento remoto associando ainda a possibilidade de compra de alimentos saudáveis. É uma ação em andamento e promete uma solução inteligente e eficaz nos dias que vivenciamos”, afirma José Gondim, diretor presidente da CDSA.

Serviço

Delivery de frutas, verduras e hortaliças feitos pelas produtoras de baixas emissões:

Entregas realizadas dias de sexta-feira e sábado

Pedidos aceitos até quinta-feira às 17h

Formas de pagamento através de boleto bancário ou dinheiro

pedidos pelo (68) 99934-8410 – Geovana