Com isolamento social em virtude da pandemia do coronavírus, os acreanos tendem a consumir mais água, e justamente por isso é um produto que não deveria faltar por nada. Nos últimos dias, as inúmeras reclamações de falta de água chegaram por e-mail ao site 3 de Julho, vindas de diversas pessoas tanto do município de Cruzeiro do Sul, quanto da Capital Rio Branco.

As reclamações são dos mais diversos bairros da cidade de Rio Branco, como Rui Lino, João Eduardo, parte do Aviário. A professora Ana Carla Maia se diz indignada com a falta de respeito.

“Eu quero que a imprensa ajude a gente, pois só assim o governador tomará conhecimento do descaso do Depasa com parte da população. Em tempos de vulnerabilidade social e assombro dessa doença aí, orientam a gente lavar bem as mãos, cuidar da higiene da casa e tal, mas como faremos isso sem água” pergunta a servidora pública.

Alfredo Lima, morador do bairro João Eduardo, relatou que estão há três dias sem receber água e por conta do medo do coronavírus a população está tendo que comprar dos caminhões pipas.

“Sou diarista e esses dias todos em casa já tem me causado prejuízo demais, além disso não posso está comprando água, pois meu dinheirinho não está dando nem para comida direito”, desabafou.

Já em Cruzeiro do Sul a indignação vem das redes sociais, internautas cobram postura do DEPASA, denunciam que em alguns bairros ficam de 3 a 6 dias sem cair o líquido precioso nas torneiras.

Bairros como Escola Técnica, Formoso e Cruzeirinho, são os mais afetados pela falta de água, que deveria funcionar com poucas falhas, em um período que a população mais precisa.

Sob nova direção, o Departamento Estadual de água e Saneamento do estado – DEPASA, passou por mudança de comando recentemente. Zenil Chaves que respondia pela autarquia, foi exonerado por ter que cuidar de sua pré-campanha a prefeitura de Sena Madureira.

Em seu lugar, o governador Gladson Cameli nomeou o Engenheiro Sebastião Fonseca, que também é aliado do senador Márcio Bittar (MDB) e padrinho da pasta.

Tentamos contato com Fonseca até o fechamento desta matéria, mas não obtivemos sucesso.