Associação Comercial do Acre suspende atendimento presencial do público por precaução a Covid-19 — Foto: Reprodução/Google Street View

A Associação Comercial do Acre (Acisa) suspendeu, a partir desta segunda-feira (23), o atendimento presencial no local. A medida é para evitar a proliferação do novo corona vírus no estado.

Até esta segunda, a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) confirmou 17 casos de Covid-19 no estado. Há dois pacientes internados em unidades de saúde, sendo um idoso de 81 anos que está em observação na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Segundo Distrito da capital acreana e uma advogada internada em uma clínica particular.

“Geralmente as pessoas vão em nosso balcão consultar o CPF ou saber se há alguma restrição nas empresas comerciais. Além disso, têm indo também verificar como está a nota do Score, para perda do documento. São informações comerciais que as lojas dão e orientam a procurar nosso balcão e verificar. Temos também nosso certificado digital que praticamente quase todos nossos empresários e liberais são obrigados a ter, mas está parado. Muita coisa está parando, a procura por certificado seja praticamente zero, explicou o superintendente da Acisa, Pedro Silva.

Porém, ele disse que em caso de necessidade de emissão de certificado ou outro atendimento mais urgente, o cliente pode ligar para o telefone dele ou outro canal de comunicação e agendar um atendimento.

“Tem nossos canais de comunicação, incluindo meu telefone que é comercial, e as pessoas podem estar ligando. A gente combina um horário e vamos até lá para emitir o certificado. Se alguém precisar de um certificado é só entrar em contato conosco que vai ser atendido do mesmo jeito. Vamos obedecer às regras de distância e higienização”, garantiu.

Sobre a volta do funcionamento, o superintendente destacou que vai seguir o decreto governamental, divulgado na sexta-feira (20), que suspendeu os serviços não essenciais, e esperar as novas determinações para retomar os atendimentos

“Alinhamos a questão de pagamentos, faturas de fornecedores, de clientes e não há necessidade de ter alguém lá, não tem ninguém no prédio. Só devemos voltar lá no início do mês para ver a questão de faturamento, mas o atendimento, inclusive, nas salas que alugamos, está suspenso. Temos conversado por Skype e redes sociais e ajustado tudo”, concluiu. Do G1 Acre