Empresária diz que bandidos saquearam lanchonete enquanto local estava fechado — Foto: Arquivo pessoal

Uma lanchonete foi alvo de criminosos na tarde desse sábado (21), no Novo Mercado Velho, no Centro da capital acreana. Segundo a proprietária, Laurete Lopes, o local foi fechado após determinação do decreto governamental que suspende as atividades não essenciais durante a pandemia de Covid-19.

A empresária conta que ainda tentou abrir o estabelecimento na manhã de sábado, mas, por orientação da polícia, precisou fechar o local. Poucas horas depois, voltou ao comércio e viu que tinha sido saqueado.

Os criminosos entraram na lanchonete pelo telhado. Laurete relata que eles quebraram a telha do local e, em seguida, o forro que é de PVC. Foram furtadas mercadorias como leite em pó, chocolate, leite condensado e outros itens.

“Ficou tudo revirado, um transtorno grande, além do prejuízo. Ainda tivemos que ir trocar as telhas, arrumar o forro, e trocar também as câmeras. Ainda nem fizemos o levantamento direito do prejuízo, mas foi grande. Ficamos muito nervosos com a situação”, desabafa a empresária.

Ela relata que não viu policiamento na área central da cidade durante a noite e afirma que os comerciantes estão preocupados, já que tiveram que fechar seus estabelecimentos.

“Ontem [sábado, 21] pela manhã, estava tendo polícia, porque estavam pedindo para fechar as portas, mas à noite não tinha. Ficamos lá até quase meia noite organizando as coisas e não tinha. Eles deveriam passar de vez em quando, fazer uma ronda e se vissem algum suspeito, abordar. Ainda mais agora que as ruas estão desertas. Agora estamos aqui, monitorando pelas câmeras, passamos a noite olhando no celular”, afirma.

O Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) informou que das 18h de sábado às 6h deste domingo (22) foram registrados cinco roubos, dois furtos e uma tentativa de homicídio em Rio Branco. O furto no estabelecimento de Laurete não foi registrado no sistema. Segundo a polícia, geralmente, os furtos acabam sendo registrados direto nas delegacias de Polícia Civil e a Polícia Militar não é acionada.

A Polícia Militar do Acre (PM-AC) afirma que a Operação Saturação foi ampliada e está contando com reforço dos alunos soldados do Centro Integrado de Ensino e Pesquisa em Segurança Pública (Ciesp) que não estão tendo aula. A ação é focada no policiamento da área comercial de Rio Branco em horários alternados. Por Iryá Rodrigues, G1 Acre