A possibilidade de diminuir a burocracia entre as obras realizadas pelas irmãs Servas de Maria de Rio Branco com a sede no Rio de Janeiro, acabaram levando acidentalmente a perderem o certificado de instituição sem fins lucrativos na oferta de educação.

Com escritório geral localizado na cidade do Rio de Janeiro e sempre que fosse necessário a realização de algum benefício na capital acreana, as irmãs deveriam solicitar autorização de fora, gerando atraso no cronograma ou levando a perder os prazos.

Na intenção de diminuir os tramites burocráticos, as irmãs acreanas optaram por criar com autorização da nacional, que se criasse um CNPJ local para facilitar as obras religiosas para a comunidade, levou a sede do Rio em retirar o certificado de prestação de serviços no Acre, levando as religiosas a buscarem apoio dos parlamentares.

Após expor a problemática aos vereadores da capital, os dezessete assinaram o manifesto de apoio em sensibilizar a estrutura carioca em devolver o título afim de evitar problemas nas prestações de serviços à comunidade acreana e se comprometeram em buscar apoio dos parlamentares estaduais e federais.

“As irmãs pediram ajuda por meio da vereadora Lene e estaremos sentando com o presidente da Comissão de Educação da Casa, vereador Mamed Dankar, que também tem forte ligação com a igreja católica para verificar como podemos acelerar essa ajuda. Não podemos permitir que um grupo que está no Acre há quase cem anos seja prejudicado por uma má interpretação e nem deixar nossa população sem essa importante cobertura”, disse o presidente da Câmara de Rio Branco, vereador Antônio Morais.