Os alunos da maior escola estadual de Brasileia, Kairala José Kairala, realizaram um protesto na manhã desta quarta-feira (19) em frente a escola e ao Núcleo de Educação do Estado no município, mas foram surpreendidos pela nova gestora da unidade, Profª. Maria Cecília, que fez pouco caso e não recebeu os estudantes.

O motivo do manifesto dos alunos seria a estupidez, que de acordo com os alunos, o novo gestor, Prof. Tim, está tratando os estudantes e os pais. Os estudantes afirmam ainda que o diretor Prof. Tim está acusando os alunos de quebrar pratos e colheres, sendo que a realidade é que não tem utensílio de cozinha suficiente para todos os alunos.

Segundo relatos, tem alunos que ficaram sem se alimentar porque não tinha colher para todos, vale ressaltar que a escola Kairala José Kairala é uma unidade educacional de ensino integral que inicia as hs 7:00 e só libera as 17:00 da tarde.

“A gente queria uma resposta, principalmente do núcleo de educação porque tiraram a professora Ivana, uma diretora totalmente qualificada que todos os alunos, inclusive os pais, sabem a qualificação que a Ivana tem para coordenar uma escola de ensino integral. Tiraram a Ivana com dois anos de gestão na escola, sendo que ela assinou um contrato de três anos; agora colocaram esse diretor desqualificado que fica chamando os alunos de marginais. Um aluno foi de bermuda para a escola porque não tinha calça, aí o diretor disse que ele era marginal, não é assim que trata jovem”, disse uma manifestante.

O fato é que tem alunos que estão ficando sem se alimentar e isso é inadmissível,  pois a merenda escolar é garantido por lei aos alunos, principalmente em se tratando de escola de ensino integral. O governo do estado deve fazer a sua parte e disponibilize utensílios para todos os alunos. Quanto ao núcleo, não é fechando as portas que vai resolver os problemas.