O empresário Everton Soares da Silva, 35, pré-candidato pelo PSL, a prefeito em Epitaciolândia, em conversas de Whatsapp, deixou os membros do grupo SOS Epitaciolândia em pé de guerra com a hipótese da população do município pagar as dívidas da prefeitura.

Diante de tamanho embaraço, fica o questionamento: você elegeria um prefeito para pagar em suaves parcelas de R$ 163,00 (cento e sessenta e três reais) em 10 meses as dívidas do município?

“Estava fazendo uma conta aqui com meus botões. Só um exemplo: Hoje temos 11 mil eleitores votantes em Epitaciolândia. Se realmente quem ama seu município de Epitaciolândia contribuísse com R$ 1630 (mil seiscentos e trinta reais), pagaria essa dívida da prefeitura (referência a valor apresentado pelo atual prefeito nas redes sociais para creditar as dificuldades na sua gestão). É um exemplo pessoal”, finaliza.

Segundo o empresário, trata-se de uma ideia para destravar o município que corre o risco de ficar inadimplente se não reverter os bloqueios da justiça.

As reações foram as mais diversas por quem se assombrou com a possibilidade de assumir dívidas deixadas por administrações passadas por irregularidade em prestação de contas ou até mesmo por omissão de alguns procedimentos exigidos nos seus prazos.

Há quem diga que na pressão dos comentários o empresário tentou amenizar dizendo que os mais humildes poderiam pagar em até 10 vezes.

Só fez piorar a situação e isso pode até comprometer sua candidatura com esse print infeliz que será bem explorado por seus adversários mais experientes.

Tomando por base dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE que apontou em 2010, que 43% da população se mantém com meio salário mínimo, parece uma ideia um tanto estranho para um aspirante a prefeito da cidade.

Filho dos proprietários do Supermercado São Sebastião (maior empresa da cidade do ramo), confunde a vida pública com o privado, esquecendo que no Estado cerca de 50% da população é pobre, com vinculação à bolsa família.