Um protesto de produtores, que reivindica melhores preços da castanha, fechou a fronteira do Brasil com a Bolívia nas duas pontes que ligam as cidades de Epitaciolândia e Brasileia, no interior do Acre, à Cobija, por pelo menos 24 horas.

Segundo informações da Polícia Militar, o acesso foi liberado na manhã desta quinta-feira (23).

“Elas estavam fechadas até mais cedo [início da manhã], mas, nossa guarnição apurou que elas já estão abertas. Mas, tá muito estável e não tem como a gente saber se vão retornar”, informou o tenente Tales Rafael.

Ainda de acordo com o tenente, a maioria dos protestantes são bolivianos, mas brasileiros também participavam dos atos.