Um servidor do sistema penitenciário do Acre, que não quis se identificar por motivo de represália, procurou a redação do site 3 de Julho Notícias para denunciar mais um desmando do atual governo, desta vez trata-se de um problema que pode se agravar no sistema prisional do estado.

A aprovação da Polícia Penal com o apoio do governo pela Assembléia Legislativa do Acre, a retirada do efetivo da Polícia Militar que auxiliava na guarda externa dos presídios de todo estado, as 30 mortes em 18 dias por execução e a recente fuga em massa de presos perigosos do maior presídio do Acre colocam em xeque todo o sistema de segurança.

Além de frisar que o governo tem o fato da imprudência com o uso do helicóptero Harpa 1 do governo que dava suporte às forças policiais nas mais diversas operações desencadeadas para combater a criminalidade e agora que a aeronave foi parcialmente destruída em um acidente de trânsito tudo ficou mais difícil. 

“Mas o pior está por vir”, diz uma fonte ligada ao setor penitenciário que não quis se identificar.

Trata-se do atraso no pagamento das empresas que fornecem refeições para os presos de todo o estado e que, segundo informações, o Governador Gladson Cameli não tem dado a devida atenção para esta situação.

A fonte relata que a empresa que fornece refeições para a Unidade Prisional Francisco de Oliveira Conde está dois meses da gestão passada sem receber, e quatro meses do governo de Gladson sem receber, totalizando seis meses de pagamento atrasado.

O fato é que, segundo informações repassadas ao 3 de Julho, pode faltar comida para cerca de quase 7 mil detentos em todo o estado (4 mil em Rio Branco), pois as empresas que foram contratadas para o fornecimento da alimentação estão algumas com mais de seis meses sem receber.

“Não tem quem aguente!! O contrato da empresa de Rio Branco é provisório e a nova licitação vai acontecer no início do próximo mês. Se uma empresa dessa deixar de fornecer um dia a alimentação, isso aqui explode e poderemos ver desdobramentos inigualáveis em todo Brasil”, disse.

Informações dão conta de que consta tentativa de direcionamento de assessores próximos ao núcleo do poder para que essa licitação seja vencida por uma empresa de fora com o apoio de políticos sem mandatos.

O fato é que as empresas que fornecem refeições para todos os presídios do estado não sabem até quando vão conseguir dar continuidade na entrega das comidas sem receberem, pois a informação que se tem é de que os fornecedores não estão querendo disponibilizar os produtos para as empresas, devido o atraso, e a fama do governo de Gladson Cameli na praça é de que o governo não costuma honrar seus compromissos.

A redação deste site de Notícias tentou entrar em contato com secretário de segurança pública do estado, Paulo César, através do Contato: (68)9998X-X245, mas até a publicação desta matéria não obtivemos êxito. O site 3 de julho está de olho, acompanhando passo a passo todo o processo em curso.