Nesta segunda-feira (13), a deputada Perpétua Almeida (PcdoB-AC), ajuizou uma representação no Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) e no Ministério Público Federal (MPF) cobrando providências quanto ao descaso e omissão do poder público em relação à grave epidemia de dengue no Acre. Perpétua já havia denunciado esse problema na Câmara dos Deputados em 2019, mas nada foi feito. 

“Essa situação poderia ter sido evitada se o Governo Federal não tivesse deixado faltar o principal inseticida utilizado no combate ao mosquito Aedes aegypti, popularmente conhecido como fumacê. E por outro lado, se o próprio governo do Acre e as prefeituras do Estado tivessem se mobilizado para cobrar do governo federal a compra do inseticida e ou repor o estoque em falta”, afirmou a deputada acreana.

Perpétua acredita que houve descaso e falta de planejamento por parte da União, do Governo Estadual e das prefeituras: “Todos sabemos do período de maior rigor do inverno amazônico, com as fortes chuvas, que é quando o trabalho preventivo e ostensivo para evitar o alastramento das larvas e mosquitos deveria ser intensificado”.

No documento que levou ao MPAC e ao MPF, a parlamentar chamou atenção para a situação principalmente de Cruzeiro do Sul. Segundo os dados obtidos por ela, são mais de 3,8 mil casos notificados, inclusive na forma mais grave, que é a dengue hemorrágica. “Diante dos fatos aqui expostos, solicito intervenção do Ministério Público Estadual para que sejam tomadas as providências cabíveis de forma que o Estado brasileiro, na plenitude dos seus entes federal, estadual e municipal, possa ser comprometido e responsabilizado no enfrentamento e nas soluções desse grave problema”, concluiu Perpétua.

A deputada anexou à representação vários recortes de matérias de jornais, sites e ainda uma infinidade de postagens das redes sociais onde doentes de Assis Brasil, Feijó, Tarauacá e Cruzeiro do Sul pedem socorro e comentam o drama que estão vivendo com a doença se alastrando.