O contrato entre a secretaria de Educação e Cultura do governo do Acre, com a empresa Tupã importações LTDA, que tem sede no Amazonas em Manaus, foi feito com dispensa de licitação e o valor do montante foi de mais de R$ 800 mil.

A empresa Tupã Importações LTDA, com sede em Manaus no Amazonas, contratada pelo governador do Estado do Acre, Gladson Cameli (PP) para fazer o transporte fluvial de escolares da rede estadual de ensino no município de Porto Acre, está ha 7 meses sem pagar os barqueiros que realizam o transporte diário de pelo menos 130 alunos.

Segundo os profissionais das embarcações, não sabem a quem recorrer, tendo em vista alegam, jamais viram qualquer representantes da empresa Tupã, e os responsáveis pelo núcleo de educação de Porto Acre, que realizaram as entrevistas e recolhimentos de suas carteiras de trabalho, também não dão qualquer explicação.“É um trabalho arriscado e de muita responsabilidade.

Transportamos vidas e ainda em sendo crianças. Navegar pelo Rio Acre e o Riozinho do Andirá, requer habilidade, prática. Mesmo sem receber estamos dia a dia levando e trazendo os alunos. Sabemos que eles não tem culpa, mas enfim queremos receber. Temos família pra sustentar e despesas para pagar, lamenta um condutor de embarcação pedindo para não ter o seu nome citado na reportagem.

Outro Lado

Em contato com a coordenadora do núcleo de educação de Porto Acre, Francileide Souza, ela admitiu somente que está em atraso o pagamento do mês de dezembro, mas será pago ainda essa semana.

Segundo ainda a nota da coordenadora Francileide Souza, há burocracias ainda a serem resolvidas junto a empresa para regularizar a situação dos barqueiros.

Veja abaixo nota explicativa da Coordenadora do Núcleo de Educação de Porto Acre:

“Em relação ao atraso de 7 meses no pagamento deles eu desconheço. Eles receberam o salario até novembro de 2019 e a primeira parte do décimo terceiro. Em ligação com o responsável pela empresa aqui no acre ele me informou que o restante do décimo e o salário de dezembro sai até o fim dessa semana. Até onde tenho conhecimento a empresa não sumiu, sempre que ligamos o senhor Eládio nos atende, assim como atende os barqueiros quando o procuram. As carteiras de trabalho se encontram em Manaus na sede da empresa e como já foi explicado a eles principalmente ao Senhor Eudimar que é o barqueiro mais ativo a respeito das questões com empresa, a empresa precisa enviar junto com a documentação para a SEE cópias das carteiras de trabalho para assim receberem da secretaria, precisam enviar também comprovante de recolhimento de impostos, estando esses todos recolhidos em suas fontes conforme nos informou o representante da empresa. Nós do núcleo de educação sempre os atendemos quado nos procuram, todas as vezes que nos procuram nós os atendemos, procuramos a empresa várias vezes para que essa atendessem os barqueiros. Da nossa parte temos a consciência tranquila pq nunca deixamos ninguém sem resposta. O que falta para eles é o aluguel dos barcos que segundo a empresa estava em negociação direta com eles. Eles recebiam antes apenas pelo período letivo, hoje eles recebem 12 meses e 13º salário, somando tudo fica um valor bem maior do que recebiam por período determinado. Estamos sempre a disposição para esclarecimentos”.