Realizada pelo Fórum de Ong’s LGBTIs do Acre, em parceria com diversas entidades e instituições, entre as quais a Prefeitura de Rio Branco, a semana tem uma vasta programação que se encerra no próximo domingo, 15, com a Parada do Orgulho LGBTI.

“É lamentável que estejamos no século 21 ainda tendo que ainda lutar por direitos, por garantir direitos e fazer com esses direitos se materializem. É lamentável estarmos vivendo um momento de retrocesso de grande parte desses direitos formalmente conquistados, mas que ainda faltam ser materializados.”, disse a prefeita diante da plateia que lembrava também os 71 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Reconhecida positivamente pelo público LGBT também por ter vetado o Estatuto da Família (proposta de lei da Câmara Municipal que reconhecia como família apenas as formadas a partir da união entre um casa heterossexual), a prefeita Socorro Neri falou as satisfação de defender os direitos de todos.

“Quando se está na gestão, como eu estou agora, muitas vezes as decisões que tomamos não são compreendidas e aceitas por determinados segmentos da população, mas quando se está na gestão é sempre um momento muito bonito quando se consegue articular a legalidade com a convicção pessoal, como eu fiz naquele momento. Ali houve uma convergência muito clara entre o que a lei estabelecia, a nossa Constituição e todo o arcabouço legal e as minhas convicções pessoais. Seguir sempre o que é legal, a legalidade me parece ser uma boa orientação na gestão pública e a segunda orientação, que parece correta, é olhar sempre para os interesses públicos e essa eu faço com um convicção muito grande. Defender o bem coletivo e defender os direitos humanos para todas as pessoas é algo que faz parte da gestão municipal.”, disse ela aos presentes.

Em seguida, a prefeita parabenizou os realizadores da 14ª Semana Acreana da Diversidade na pessoa do presidente do Fórum de Ong’s LGBTS do Acre, Germano Marino e reafirmou sua disposição também contribuir. “Estamos à disposição tanto do ponto de vista institucional, quanto do ponto de vista pessoal para colaborar com o que vocês julgarem que esteja ao nosso alcance. Parabenizo pela resistência que vocês fazem sempre de forma tão cordial e amorosa, o que faz com que a cada dia essa causa ganhe outros adeptos e outros defensores. Sigamos acreditando que o mundo só será melhor quando for melhor para todos.”, concluiu.

“Direitos Humanos para todas as pessoas”

Com o tema “Direitos Humanos para todas as pessoas”, a 14ª Semana Acreana da Diversidade tem como objetivo chamar a atenção da sociedade e das instituições para a necessidade de que sejam garantidos os direitos humanos de todas as pessoas, sejam elas jovens, negras, mulheres, idosos, deficientes, indígenas e LGBTIQ+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Transgêneros e mais), como explicou o Germano Marino, presidente do Fórum de Ong’s LGBTS do Acre.

“Escolhemos esse tema compreendendo que as pessoas precisam entender que direitos civis LGBTs não é ter privilégio, são apenas direitos humanos para que todas as pessoas possam ter as mesmas condições e oportunidades de vida com alimentação, saúde, segurança pública, cultura, educação, etc.”, pontuou.

Ruby Rodrigues, da Associação das Travestis e Transexuais do Acre (Atrac) lembrou das dificuldades e preconceito existentes ainda nos dias atuais. “Esse momento é a garantia de que não estamos sozinhos, mas muita gente teve que morrer assassinada ou que desistiu de viver para poder garantir os nossos direitos. Somos as pessoas que mais sofremos preconceito porque carregamos em nosso corpos a bandeira que é bem discriminada. As pessoas nos estigmatizam, não estão ainda preparadas para compreender.”, lamentou.

Representando o Ministério Público do Acre (MPAC) e o Centro de Atendimento às Vítimas (CAV), a procuradora de Justiça Gisele Mubarac enalteceu o momento e reconheceu o apoio da prefeita Socorro Neri. “Quero reforçar essa luta pois já que é um defensor da sociedade nada mais próprio ao Ministério Público que defender a causa LGBT. Quero aproveitar para agradecer à prefeita porque quando tivemos problemas financeiros no CAV foi a primeira a nos ajudar e ajuda até hoje nesse importante papel na defesa das vítimas LGBT.”, pontuou.

Representando o Instituto Ecumênico Fé e Política, o Padre Mássimo Lombardi destacou a necessidade de somar forças na luta. “Fico impressionado como o preconceito pode matar jovens vidas. Aqui no Acre eu acompanhei um caso. Eu senti profundamente como a sociedade deve incluir os que até agora foram excluídos. Esta semana da diversidade, da luta pelos direitos humanos, deve incluir.Nós precisamos dar o maior valor àqueles que tem uma orientação sexual que não deve ser motivo de desprezo e exclusão.”, defendeu.

Depois da abertura, foram agraciadas com o Troféu Rogério Sábio da Paciência, pessoas consideradas aliadas do movimento de enfrentamento da LBGTfobia no Acre, tais como: a ouvidora da Defensoria Pública do Estado, Solene Costa; a coordenadora do Centro de Defesa dos Direitos Humanos do Acre (CDDHEP), Raimunda Bezerra; a empresária Geny Abrahão; a atriz e ativista travesti e transexual, Brenn Souza; e o produtor cultural, Luck Aragão.

A programação de abertura foi encerrada com a apresentação da peça teatral “As Malcriadas”, que tem no elenco as atrizes travestis e drag queens Breenn Souza, Bia Berkmam e Marcos Luanderson, com direção de Sarah Jainy.