O deputado estadual Fagner Calegário (PL) afirmou durante uma entrevista ao site 3 de Julho Noticias que foi escorraçado da Secretária de Estado de Comunicação (SECOM) pela própria Secretária Silvânia Pinheiro.

De acordo com o deputado, o motivo seria devido o parlamentar ter pedido (pela Lei de informação) para verificar um documenta da referida secretaria, precisamente o livro de pontos dos servidores da pasta. Mas a secretária Silvânia negou a informações a ele e afirmou que seria necessário agendar uma hora para ser atendido e o escorraçou do local.

Diante da desnecessária postura da secretária de comunicação, Calegário ficou se questionando a respeito do que tinha acontecido e mais ainda ficou se perguntando se Silvânia Pinheiro tem algo a esconder na secretaria, pois só tendo algo de muito errado no setor para justificar a grosseria dela. 

O que teria levado o parlamentar a ir em busca desse documento seria os ataques que o mesmo vem sofrendo nas redes sociais por um dos servidores da secretaria que segundo Calegário, este servidor não estaria assinando o livro de ponto, mas estaria recebendo uma CEC no valor acima de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) para usar as redes sociais para denegrir a imagens de outros políticos inclusive ele.

Se mostrando revoltado e indignado com a situação, o deputado Fagner Calegário denunciou o que ele chamou de “cangaceiros e bandoleiros digitais do governo”, ele afirma que recebeu a informação de que esses servidores da referida secretaria não trabalhavam de fato e seus papeis seria ficar nas redes sociais atacando e contestando as denúncias que ele fez, onde o Estado deve aos terceirizados.

“Esses cangaceiros digitais recebem dinheiro público para atacar um deputado que apenas quer fazer o seu trabalho”, concluiu ele.