A ação teve a participação do Delegacia de Combate ao Narcotráfico (Denarc), da Justiça, Ministério Público do Estado e da Vigilância Sanitária.

Conforme o coordenador da Denarc, delegado Pedro Resende, a droga incinerada foi apreendida entre o segundo semestre de 2018 e o primeiro semestre de 2019.

“Estamos queimando 270 quilos de cocaína, extremamente pura e mais de 450 quilos de maconha. Não é segredo para ninguém que o Acre é considerado uma rota para o tráfico de drogas, principalmente para a cocaína que é produzida na Bolívia e no Peru. Cabe salientar também que esse trabalho de combate ao tráfico de drogas também atinge as organizações criminosas, porque é com o tráfico que elas se capitalizam e aumentam seu poderio no estado”, afirmou o delegado.