Quando os moradores de Rodrigues Alves pensam que a gestão do Prefeito Sebastião Correia (MDB) chegou no fundo do poço, eles se surpreendem com mais um desrespeito e afronta aos bons costumes.

Desta vez, um morador do município procurou a redação do site 3 de Julho Notícias para denunciar que na atual gestão do Bastião está havendo funcionário fantasma, que foi nomeados para trabalhar na prefeitura de Rodrigues Alves, mas residem em Rio Branco.

O fantasma da vez é o filho do irmão João Batista Pereira, um dos maiores defensores do prefeito Bastião, Jonatanael Maia da Silva, que foi nomeado para ocupar o cargo de assessor especial II, DAS – 8 do gabinete do prefeito; a nomeação foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) no dia 2 de Janeiro do corrente ano.

Mas o que chama a atenção é que Jonatanael junto de sua família residem em Rio Branco, e de acordo com relatos de moradores, a nomeação seria fruto de acordos políticos que o prefeito Bastião teria firmado com João Batista que só aparece em Rodrigues Alves em época de campanha.

A maior revolta dos moradores do município é que muitos são conhecedores de que Nael trabalha a quase um ano, 11 meses para ser mais exato recebendo o dinheiro do povo sem prestar serviço no município. Não se sabe quanto foi pago a este jovem durante todo esse tempo, mas os moradores acreditam que o pagamento de Nael vai muito além do que um salário mínimo.

“É uma pouca vergonha o que esse prefeito está fazendo na prefeitura com o dinheiro público, além de não cuidar do nosso município ainda fica apadrinhando os parceiros políticos, que ganha um absurdo para fazer nada, se o Nael está nomeado em Rodrigues Alves ele tem que pelo menos residir e comparecer no local de trabalho, se é que tem, porque eu acho que nem existe é só um título para beneficiar os chegados”, afirmou um morador que não quis se identificar.

Vale destacar que o prefeito Sebastião Correia tinha tudo para fazer uma gestão transparente, mas os moradores acreditam que isto não está acontecendo. Cabe ao Ministério Público e órgãos competentes averiguar de perto essa situação, e se estiver havendo de fato irregularidades, que a justiça punam os responsáveis de prejudicar o erário público.

E se realmente ficar configurado que o gestor Bastião cometeu ato de improbidade administrativa que ele perca o mandato que ele não está honrando com os moradores e sim somente com a panelinha que o apoia. Diz Moradora

Ao consultar o DOE, observamos que Jonatanael não foi exonerado até o momento e não sabemos se irá ser de fato.

A redação do site 3 de Julho Notícias tentou entrar em contato com João Batista e seu filho, mas até a publicação desta matéria não obtivemos êxito, mas o espaço está aberto para explanar a sua versão dos fatos.