Na última sessão antes da votação da Reforma de Gladson, apenas 9 (nove) deputados comparecem ao Trabalho na ALEAC. Daniel Zen, Edvaldo Magalhães, Jonas Lima, Maria Antônia, Juliana Rodrigues, Jenilson Leite, Wagner Felipe, Antônia Sales e Meire Serafim foram os presentes.

Os eventos da UNALE mobilizam deputados estaduais de todo país, mas mas mostra pouco resultado prático. O legal dos encontros é que acontecem sempre em cidades atrativas e o gasto é por conta do contribuinte.

A comitiva de viajantes é formada por assessores dos deputados e também por jornalistas da Aleac para participarem do encontro, que como de costume todo ano acontece em uma cidade diferente, mas este anos está acontecendo em uma das cidades mais visitadas do Brasil. Salvador, mais conhecida como o caribe brasileiro, regado de muito sol e um mar agradabilíssimo, combinação perfeita para uma ‘saidinha’ pós encontro.

Além das vantagens que a viagem proporciona, segundo foi apurado, a diária paga a cada integrante da comitiva não saiu nada menos de que R$ 1.000 por dia, se saírem os 5 dias que dura o encontro custará um total de R$ 5 mil por pessoa e o melhor tudo custeado com o dinheiro público, diárias proporcionadas pela ALEAC dos impostos que o acreano paga.

Em meio a pauta mais polêmica do governo nesses 11 meses de gestão a Reforma da Previdência parece não ter mais a importância por parte de grande parte dos deputados estaduais, principalmente da base de sustentação do governo.

Na sessão desta quarta-feira (20) apenas 9 dos 24 deputados compareceram ao trabalho, mostrando pouco interesse em afunilar os detalhes final da votação que será dia 26; próxima terça-feira.

Edvaldo Magalhães (PCdoB) usou a tribuna para manifestar sua preocupação com a matéria, pois segundo ele o governo tem pressa e quer se adiantar do que o congresso decidiu recentemente.

“O senado mudou o texto da reforma ontem, com isso a pauta retorna para a câmara para ser aprovada em definitivo. Não tem porque o governo do Acre se apressar, pois se aprovado aqui dia 26 próximo ou 14 de dezembro; isso não mudará as finanças do estado, mas pode causar prejuízo a vida de milhares de servidores”, disse Edvaldo.

Para o parlamentar, ainda falta mais diálogo com vários sindicatos e por isso ver desnecessário o atropelo, o que pode repetir o que aconteceu na votação da LDO.

Com pouco interesse por parte da base do governo, as discussões com as categorias de servidores são conduzidas pelo líder Gerlen Diniz, mas Antônio Pedro por parte da base e os parlamentares da oposição.

O presidente Nicolau tem até aqui tentado mostrar engajamento, mas não tem imparcialidade na pauta, afinal é ganho para a proposta do governador Gladson Cameli, até mesmo tem se portado muitas das vezes, como interlocutor do palácio Rio Branco.

Dia 26, podemos ter uma sessão sem a calmaria que todos desejam e se acontecer é por falta de empenho do próprio governo.

Veja a  lista dos deputados que estão participando da comitiva em Salvador: 

O presidente da Aleac, Nicolau Junior (PP), os deputados: Antonio Pedro (DEM), Marcus Cavalcante (PTB), Roberto Duarte (MDB), Manoel Moraes (PSB), Bestene (PP), Nenem Almeida (Solidariedade), Whendy Lima (PSL), Cadmiel Bomfim (PSDB), Luís Tchê (PDT) e Chico Viga (PHS).