O presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Nicolau Júnior (PP), e o Líder do governo Gehlen Diniz (PP), solicitaram ao governador Gladson Cameli (PP) que seria melhor adiar a votação para que a matéria fosse devidamente discutida com os servidores do setor público.

“O governador Gladson entendeu que precisamos de mais tempo para dialogar com os sindicatos, com isso vou segurar a pauta e colocar em votação somente dia 26 de novembro. Estamos conversando individualmente com cada categoria. Queremos que todas as dúvidas sejam esclarecidas antes de iniciar e processo de votação”, disse Nicolau Júnior.

Ainda de acordo com o progressista, a reforma da Previdência é necessária levando em consideração a situação financeira do Estado.

“Sabemos que o déficit previdenciário continua crescendo, e isso é muito preocupante. Se essa reforma não for aprovada o aporte do tesouro estadual para arcar com o pagamento de aposentadorias e pensões será de quase R$ 1 bilhão até 2022. O estado pode quebrar”, alertou.

O presidente do Parlamento Acreano agradeceu os servidores que a partir do diálogo, compreenderam a importância da reforma. Frisou ainda que o momento pede a união de todos.

“Na última sexta-feira (8), tivemos reuniões muito produtivas com os sindicatos. Agradeço demais a todos que compreenderam a necessidade de aprovar esta reforma. Estamos conversando com os trabalhadores, explicando a eles que ela é fundamental para o futuro do Acre, que essas mudanças são de fato necessárias”, salientou.

Nicolau Júnior elogiou ainda a postura do governador em atender o pedido do Poder Legislativo para a ampliação do prazo de discussão da matéria. Após o amplo diálogo com os trabalhadores, a expectativa é que o texto seja votado pelo deputados estaduais no próximo dia 26 de novembro.

“Quero registrar a conduta democrática do governador em sempre prezar pelo diálogo. Neste sentido, nós entramos num consenso para que a reforma da previdência seja discutida pela Assembleia, governo do Estado, funcionários públicos, sindicatos e sociedade em geral. Acredito que desta forma vamos chegar ao ponto que seja melhor para todos”, enfatizou.

Para o líder do governo na Aleac, deputado Gehlen Diniz (PP), a proposta de reforma da previdência está sendo debatida de maneira democrática. O parlamentar salientou ainda que o governo atual está tentando corrigir um problema que foi criado pelos governos passados.

“O próprio governador foi sensível em atender esse pedido. É importante esclarecer que este não foi um problema criado durante a gestão Gladson Cameli, mas durante os governos passados que fizeram pouco caso para um assunto de tamanha responsabilidade. O que o atual governo está fazendo é corrigir esses problemas. Vamos conseguir fazer com que o rombo previdenciário pare de crescer e não comprometer mais ainda o orçamento estadual com o pagamento de aposentadorias e pensões”, pontuou.