Mesmo sem localizar o vigilante suspeito de tentar estuprar uma menina de 10 anos, a Polícia Civil indiciou ele por praticar ato libidinoso com a criança, segundo informou o delegado que investiga o caso, Marcos Frank.

O vigilante de 53 anos da escola de Ensino Infantil Celso Cosme Salgado, de Santa Rosa do Purus, no interior do Acre, foi afastado do trabalho por suspeita de estupro. O caso aconteceu no final de setembro deste ano, mas foi divulgado apenas no final de outubro pela polícia.

“Ele não foi encontrado em Santa Rosa. Fiz o indiciamento indireto, quando o acusado não é encontrado. Terminei o procedimento e encaminhei para o Fórum Criminal de Santa Rosa”, informou o delegado.

O delegado disse que ouviu, além da menina, a mãe dela e mais alguns servidores da escola e encontrou indícios de autoria e materialidade do crime.

Frank disse que a direção da escola apresentou imagens das câmeras de segurança que mostram quando o homem de 53 anos entra em uma sala que seria a cantina da escola. Nas imagens, é possível ver que logo depois a menina entra por trás, pelo lado de fora do prédio.

Ainda conforme o delegado, o homem atraiu a garota até a cantina da escola oferecendo um laço de cabelo a ela em troca de favores sexuais, onde chegando lá tentou agarrá-la.

A menina, de acordo com a polícia não é aluna da escola. Ela apenas passava pela rua e foi abordada pelo suspeito e, em seguida, entrou no prédio.

Na época que o caso foi descoberto, a direção da escola informou que pediu o afastamento do servidor e Secretaria Municipal de Educação do Município confirmou que, assim que soube do caso, afastou o servidor da escola e iniciou uma investigação interna. Do G1 Acre