Os agente da delegacia de polícia da cidade de Brasileia, coordenado pelo delegado Sérgio Lopes, conseguiram obter informações de que a mulher encontrada morta na manhã desta quarta-feira, 6, na unidade do CREAS do município, Marilene Pereira da Silva Nascimento, 39 anos, apresentava sinais de estrangulamento, mas, necessitava obter o resultado do IML da capital, pra onde foi levado o corpo.

As hipóteses de Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou infarto, não foram descartados inicialmente, mas necessitavam do resultado do IML para poder iniciar os trabalhos de investigação sobre um homicídio.

Algumas horas depois, foi avisado que a vítima foi morta por asfixia mecânica (estrangulamento). A partir desta informação, os trabalhos iniciaram e com posse de imagens de segurança, o principal suspeito foi identificado.

O autor do crime seria Eduardo Justino da Silva, de 19 anos, que foi localizado no Bairro Alberto Castro, parte alta da cidade de Brasiléia. Durante todo o dia, o suspeito foi procurado na zona rural do município, enquanto outra equipe fazia busca na zona urbana.

Ao ser levado para a delegacia, Eduardo confirmou que matou a vítima com as próprias mãos para roubar o seu celular. Apesar da pouca idade, o jovem já responde por um homicídio e uma tentativa na Capital acreana quando tinha apenas 15 anos.

Comentou que teria ido ao local do crime, para assinar o livro quando resolveu que deveria roubar o celular. Achando que deveria se livrar das provas, resolveu matar a mulher e não seria descoberto, mas, foi descoberto e localizado dentro de casa em menos de 12 horas do crime.

O acusado ficará a disposição do judiciário, podendo ser transferido para o presídio na Capital nas próximas horas.

Por Alexandre Lima / Oaltoacre