A confusão continuou bem cedo na Assembleia Legislativa do Estado do Acre, onde os manifestantes se reuniram em frente à Caso do Povo, mas nas primeira horas desta manhã foram barrados por seguranças da sede de adentrarem no espaço, em virtude do que aconteceu no dia anterior.

Em resposta naquele momento, os servidores, sindicalistas e líderes de associação e movimentos sociais fecharam todas as entradas da ALEAC para que ninguém entrasse muito menos os deputados.

O Presidente da Assembleia, deputado Nicolau Júnior, ao tomar conhecimento da situação foi tentar resolver acompanhado de outros parlamentares como Roberto Duarte (MDB), Edvaldo Magalhães (PCdoB), Fagner Calegário (PL) e outros.

Na oportunidade, o presidente da Casa, Nicolau Junior, liberou a entrada dos manifestantes, por ordem, primeiro as mulheres e em seguida os homens, e para a segurança de todos, os manifestantes passaram por revista antes de entrarem no local. Mas mesmo assim houve empurra empurra.

A não aceitação tem gerado todo essa aglomeração em frente a sede do Poder legislativo e enquanto isso o governador Gladson quer empurrar de guela abaixo de qualquer maneira, inclusive já deixou claro que a PEC de Maldade deve ser aprovada até sexta-feira (8).

A Polícia Militar e Polícia Civil estão no local fazendo a segurança, pois ontem foi registrado brigas e até mesmo uso de spray de pimenta nos manifestantes, onde muitos tiveram que ser levados para a UPA.