O banco, que tem sido um dos principais parceiros do governo nos últimos anos, oferece investimentos que resolveriam ao longo de 10 anos o problema da oferta de água tratada e coleta de esgoto para a população de todos os municípios acreanos.

_________________

Os investimentos podem chegar a cerca de R$ 1 bilhão de reais ao longo de uma década.

_________________

Durante a reunião, dois consultados do banco, Jorge Assalie e Guilherme Albuquerque, afirmaram que se o cronograma for cumprido sem atraso, a questão da água encanada se resolve em um prazo máximo de 5 anos. Atualmente, o percentual de famílias que recebem água encanada em suas casas chega a 65%.

Os consultores informaram ainda que em relação ao esgotamento sanitário, o prazo é maior. Como apenas Rio Branco possui a coleta de dejetos, seriam necessários 12 anos para alcançar esta universalização.

____________________

Gladson mostrou-se empolgado com a operação de crédito fornecida pelo BNDES para melhorias em saneamento básico. Segundo o gestor, são projetos desta magnitude que ajudam na evolução dos índices de qualidade de vida da população.

____________________

“Muitos políticos não gostam de investir em saneamento porque é uma obra que fica escondida debaixo da terra. Só que investindo nesta área, vamos estar evitando que a nossa população se contamine e adoeça. São projetos como este que queremos para melhorar a distribuição de água e a coleta de esgoto em todos os municípios. Além disso, esse investimento bilionário vai nos ajudar a gerar muitos postos de trabalho”, frisou Cameli.

Para formalizar a parceria como BNDES, o governo do Acre se comprometeu a analisar a viabilidade econômica. É bom lembrar que o atual governo já fez dois pedidos de autorização de empréstimos à Assembleia Legislativa. Um, junto ao Banco do Brasil já aprovado no valor de R$ 268 milhões de reais. Nesta terça-feira, 5, Gladson Cameli encaminhou outro pedido de empréstimo no valor de quase R$ 400 milhões de reais junto à Caixa Econômica Federal. Por Ac24horas