A reforma da previdência estadual, proposta pelo Governador Gladson Cameli (PP) está tumultuando a vida dos trabalhadores acreanos que tiveram que tomar medidas radicais para garantirem seus direitos como trabalhador.

Os servidores e sindicalista que manifestaram na Assembleia Legislativa foram agredidos nos corredores da ALEAC com gás de pimenta pelo seguranças da Casa, alguns dos presentes tiveram que ser socorridos e encaminhados para Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

A ocupação organizada pelo sindicatos e trabalhadores, impediram a votação a toque de caixa, durante a manhã desta quarta-feira. Em reunião com os deputados, o pedido dos sindicalistas é que o projeto retorne para o executivo e seja debatido minuciosamente com as categorias antes de retornar para ALEAC.

Os Deputados da base do governo já mostraram que não estão dando muita importância ao manifesto dos servidores e os desrespeitaram quando se ausentaram da ALEAC e saíram para almoçar sem apresentar um encaminhamento concreto.

Ainda existe uma grande preocupação dos manifestantes de que o projeto possa ser votado na surdina sem o amplo debate com a sociedade. Trabalhadores e trabalhadoras optaram por permanecer ocupando o Plenário e galerias da ALEAC sem horário para se retirarem.