A deputada estadual Maria Antônia (PROS), usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Acre (ALEAC), nesta terça-feira (8) para levar ao conhecimento dos presentes o que foi tratado no Seminário promovido pelo Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) e o Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan).

A Parlamentar adotou esta causa e tem se dedicado a ajudar tanto o morhan como também as pessoas atingidas, Maria já apresentou projetos de lei na ALEAC que inclusive foi aprovado, como também reivindicar melhorias nas unidades que atendem este público.

Veja a baixo a nota lida pela Deputada Maria Antônia:

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) e o Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan) promoveram, na última quinta e sexta-feira (3 e 4), seminário que debateu medidas de atendimento às pessoas com hanseníase.

A atividade, ocorreu no auditório do Edifício-Sede do MP acreano, é coordenada pela 1ª Promotoria Especializada de Defesa da Saúde de Rio Branco e o Núcleo de Apoio e Atendimento Psicossocial (Natera), em parceria com o Morhan.

Durante dois dias de discussão, gestores do Ministério da Saúde, Secretaria Estadual de Saúde, municípios, integrantes do Morhan, membros e servidores do MPAC, movimento social, conselhos, instituições religiosas e estudantes debateram o cenário atual da hanseníase no Brasil e no Acre. O objetivo foi discutir ações de prevenção, diagnóstico e tratamento da doença com vistas ao processo de descentralização do atendimento na rede pública.

O Brasil ocupa a segunda posição em números de casos de hanseníase no mundo. No Acre, segundo informações do Morhan, atualmente ainda é possível pessoas ficar com sequelas devido à ausência de cuidado um vez que esse acompanhamento deve ser realizado pelo município.

No seminário debateu-se ainda os desafios e estratégias da municipalização do cuidado com os pacientes de Hanseníase no estado, que hoje tem o atendimento centralizado no serviço dermatológico do Hospital das Clínicas.

O cuidado para com a pessoa atingida pela a hanseníase é fundamental para cura e evitar danos a vida do paciente, porém esse serviço ainda esta com Estado a ideia da descentralização é que os municípios assumam a responsabilidade com exames e tratamento para facilitar a vida do paciente.

Com os encaminhamentos desse seminário o MORHAN acredita que vai se garantir um atendimento e atenção as pessoas atingidas pela hanseníase conforme assegura a legislação.

No formato de atendimento que está hoje, centralizado no Estado é prejudicial para esses pacientes vez que não são assistindo de forma integral.

Um outro ponto discutido foi a falta de materiais ortopédicos nas duas Oficinas Ortopédicas existente no Acre, relados de usuário de prótese que não estão tendo acesso a esse serviço foi um dos pontos marcantes nesse seminário.