MEC libera 6,5 milhões para Ufac e reitora diz que valor não resolve problema da instituição

Orçamento de custeio da Ufac é de R$13,1 milhões e estava bloqueado desde 30 de abril e outros R$ 2 milhões em investimentos.

A liberação de recursos anunciada nesta segunda-feira (30) pelo Ministério da Educação (MEC) vai beneficiar a Universidade Federal do Acre (Ufac) com R$ 6,5 milhões. Esse valor, segundo a reitora da instituição, Guida Aquino, vai ser utilizado para pagar a conta de energia e contratos de segurança, limpeza e água.

A reitora confirmou o desbloqueio dos valores e o destino das verbas na manhã desta terça-feira (1º), durante coletiva de imprensa, onde informou que o dinheiro liberado é para manter o funcionamento da instituição.

O orçamento de custeio da Ufac, de R$13,1 milhões, estava bloqueado desde 30 de abril e outros R$ 2 milhões em investimentos.

“Esse desbloqueio de orçamento é importante e necessário. Precisamos, agora, honrar nossas contas de luz, nossos contratos que estão reduzidos, é bom que se diga, de limpeza e segurança. A Universidade já vem com contratos reduzidos desde fevereiro e com o bloqueio reduzimos mais”, pontuou.

Cortes na Universidade

Após o corte de repasses, a Ufac emitiu um comunicado informando uma série de medidas para contenção de gastos na instituição.

Entre as medidas estão a redução no horário de funcionamento da biblioteca, que era aberta das 7h30 às 21h de segunda a sexta e das 8h às 12 aos sábados. E passou a funcionar das 9h às 20h de segunda a sexta e aos sábados das 9h às 12h.

Segundo a Ufac, o objetivo é economizar com o consumo de energia elétrica. Outra medida foi a redução dos serviços de limpeza no campus e a suspensão dos agendamentos externos do Anfiteatro Garibaldi Brasil e do Teatro Universitário.

Com o desbloqueio, a reitora diz que é possível honrar as contas do mês e também realizar o serviço de manutenção que estavam suspensos.

“Mas, ainda não resolve o problema total da universidade. Nós ainda temos 50% bloqueado e esperamos que o governo venha, ainda esse mês, com o novo desbloqueio para que a gente possa continuar, além de honrar os contratos ainda fazer ações no que se refere ao ensino, pesquisa e extensão aqui na universidade”, concluiu.

Determinação da Justiça

O contingenciamento representa, segundo o governo, 3,4% do orçamento total das universidades – isso porque a maior parte dos recursos das instituições de ensino superior vão para o pagamento de salários e aposentadorias, que são despesas obrigatórias e não podem ser alteradas pelo governo.

Desde então, ações têm sido apresentadas à Justiça contra a medida. Além disso, ocorreram manifestações no estado do Acre e em todo o país contra o bloqueio.

Em junho, a Justiça Federal da Bahia determinou que o Ministério da Educação suspendesse o bloqueio de verbas para a Universidade Federal do Acre (Ufac) e Instituto Federal do Acre (Ifac).

Do G1 Ac