O deputado estadual Jenilson Leite (PSB) , vice-presidente da ALEAC e autor do requerimento da CPI da energia elétrica, participou ao lado do colega parlamento Roberto Duarte (MDB) e sindicalistas, além de centenas de pessoas, de um ato em frente à sede da Energisa, empresa responsável pela distribuição de energia no Estado, após aquisição da estatal Eletroacre.

O protesto é contra o preço exorbitante dos talões dos consumidores acreanos referente ao mês de agosto. E ocorreu depois das explicações exdruxulas do diretor da empresa Ricardo Xavier na Assembleia, na quarta-feira (25), na qual salientou que o aumento é devido o aumento da temperatura e que os ventiladores consome mais energia do que ar-condicionado.

Insatisfeitos com as respostas do executivo da empresa, bem como o preço que veio nos talões de luz, os consumidores foram mais uma vez em frente a empresa dizer que os cidadãos acreanos não aceita essa exploração.

Na cidade de Tarauacá, no interior do Estado, manifestantes também foram à sede da Energisa com cartazes para protestar contra o aumento e as constantes oscilações de energia.

Perante os membros da Comissão Parlamentar de Inquéritos que investiga a empresa no Acre, Xavier chegou a dizer que a conta de luz das pessoas de baixa renda estão vindo mais caras porque os ventiladores consomem mais energia que aparelho de ar-condicionado.

Diante desta afirmação como justificativa, uma manifestante levou o seguinte cartaz à manifestação: “E agora…pobre só tem ventilador”.

Para o deputado Jenilson Leite, que é o principal líder do movimento contra o aumento da taxa de energia no parlamento estadual, a manifestação é legítima e de iniciativa popular, sendo que a participação dos deputados é na condição de apoiadores do ato. “O povo precisa se movimentar, o parlamento age por um lado, a Defensoria Pública e MP por outro, mas é necessário que o povo demonstre que a sua insatisfação é plena, não apenas nas redes sociais. Por isso, quero parabenizar todos os idealizadores que estiveram à frente desse ato. Porque até hoje a Energisa não conseguiu cumprir com o que prometeu aos acreanos, que é uma energia de qualidade e preço justo. E nós vamos cobrar, pois eles estão aumentando de uma forma que o consumidor não consegue pagar”, crítica o deputado.

Jenilson Leite é autor do requerimento que deu origem a CPI da energia elétrica. Essa comissão que já está na segunda fase, já detectou algumas irregularidades cometidas pela Energisa, e para coibir essas situações, Leite já apresentou anteprojetos que proibir a cobrança por estáticas e também proibir que o furto de energia por terceiros seja transferido a outrem, como a empresa vem fazendo.