O diretor-geral da empresa Energisa, Ricardo Xavier, compareceu na manhã desta quarta-feira (25) na sala de reuniões da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) para explicar as inúmeras denúncias de aumento abusivo na conta de luz dos acreanos.

O deputado Roberto Duarte Junior (MDB) foi o primeiro parlamentar a falar e levou até o diretor da Energisa o caso de uma senhora que enviou a ele a foto do relógio que mostra que o equipamento marcava o consumo de 212 kWh, mas no seu talão a Energisa cobrou 795 kWh.

“A gente precisava ter uma explicação porque essas contas estão vindo com valores abusivos. Recebi denúncias de que várias contas estão assim aqui em Rio Branco”, diz o parlamentar.

De acordo com o deputado Jenilson Leite (PSB), autor do requerimento que pediu a presença dos diretores da empresa à Aleac, a Energisa veio ao Acre com promessas de que melhorariam o fornecimento de energia elétrica no estado e com cobrança de tarifas justas, mas não é isso que tem acontecido.

“Quando a Energisa veio ao Acre a empresa fez um compromisso de proporcionar à população acreana de qualidade e preço justo, mas a chegada trouxe um aumento exorbitantes na conta de luz e isso gerou uma insatisfação que culminou na criação da CPI. Estamos muitos preocupados com o valor que a cada dia que passa a conta de energia vem só aumento”, diz Jenilson.

O diretor Ricardo Xavier foi cobrado por Jenilson Leite sobre o porquê desse aumento abusivo nas contas de energias no Acre.

“Entendemos que precisamos consumir energia, mas não pode ser um item que vai tirar das pessoas o direito a comprar remédios, alimentos e outras coisas básicas. Queremos explicações sobre esse aumento exorbitante”, diz Jenilson.

Ao responder os questionamentos, o diretor Ricardo Xavier afirma que a central de reclamações da Energisa no Acre ainda não recebeu nenhuma reclamação sobre a possível fraude nos relógios. Ricardo diz ainda que estranhou o fato ter chegado antes à Aleac do que na Energisa.

“O me causa uma estranheza é o fato das reclamações não terem chegado na nossa central de atendimento, mas, sim, primeiro à Aleac. Não temos nenhuma reclamação fora do normal quanto a aumentos na conta de luz”, diz Ricardo. Com informações de folha do acre