Correios iniciam greve por melhores condições de trabalho e contra privatização

Categoria declarou greve nesta terça-feira (10), após uma reunião que aconteceu em Rio Branco.

Após reunião, funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos no Acre (Correios) iniciaram greve por tempo indeterminado no estado, nesta terça-feira (10). A categoria reivindica melhorias salariais, manutenção do acordo coletivo e não a privatização da empresa.

A imprensa tentou contato com os Correios, mas não obteve sucesso até esta publicação.

O Sindicato dos Correios e Telégrafos do Acre (Sintec-AC) informou que ainda analisa se vai manter 30% dos servidores no atendimento ao público. Os funcionários vão se reunir em um ato em frente à Agência Central, na Rua Floriano Peixoto, em Rio Branco, nesta quarta (11).

A categoria afirma que o acordo coletivo venceu no dia 31 de agosto e não conseguiu outro acordo com a empresa, mesmo com a mediação do Tribunal Superior do Trabalho.

“A partir das 7h20 de amanhã a gente vai se concentrar no prédio da Floriano Peixoto. Estamos sem acordo coletivo e a empresa não entrou em negociações e vedou todas os canais, não aceitou mais as mediações do Tribunal e ficamos sem opção, a não ser deflagrar a greve”, explicou a presidente do Sintec-AC, Suzy Cristiny.

Entre as melhorias estão: mais contratações, melhorias nas agências para atender os clientes, retorno da distribuição diária, entre outras. Além disso, a categoria é contra a privatização da estatal, um desejo do presidente Jair Bolsonaro.

“Estávamos em negociação há dois meses, e mudamos o indicativo de greve do 1º de agosto para 3 de setembro. Unificamos essa data para greve em todo país. É greve nacional”, concluiu. Do g1 Ac