Estudante da Escola Socorro Frota vai representar Brasiléia na fase estadual das Olimpíadas de Português

O Lugar Onde Vivo. Este é o tema da 6ª edição das Olimpíadas de Língua Portuguesa.

A prefeitura de Brasiléia através da Secretaria Municipal de Educação aderiu ao Programa por entender que contribui para a formação social dos estudantes. A poesia escolhida para representar o município de Brasiléia na fase estadual das Olimpíadas de Português foi a do estudante do 5º ano da Escola Municipal Maria Socorro Frota, Riquelme Baima Araújo.

Com o título "O lugar onde Vivo", Riquelme homenageia Brasiléia, a rua onde mora, fala das árvores, dos pássaros, das brincadeiras com seus colegas no fundo do quintal e finaliza dizendo que seu lugar é Brasiléia e que jamais pretende mudar.

Em sua escola, Riquelme, teve a orientação do professor Carlos de Oliveira Neto (Carlão), que trabalhou a escrita do gênero literário, poema através de oficinas de produção de texto. Para ele é motivo de muita alegria ver seu aluno representando o município na competição estadual.

“As Olimpíadas de Língua Portuguesa foi um presente tanto para mim, quanto para os meus alunos. Abraçamos juntos, trabalhamos oficina à oficina. Não foi fácil mas com a turma empenhada vencemos. Hoje, ao começar a colher os frutos, percebemos o quanto valeu a pena cada esforço dado. Isso não tem preço. Nosso campeão Riquelme não é mais
Socorro Frota, agora é Brasiléia. E nós estaremos firmes e atentos para irmos até onde for possível, representando o nosso município na fase estadual. A Família Socorro Frota, os alunos, os pais e a comunidade escolar estão, todos, de parabéns por mais essa conquista. Parabéns Riquelme!”.

Secretária Municipal de Educação, Luíza Ribeiro do Amaral, também fez questão de reconhecer o poema feito por Riquelme. “A prefeitura de Brasiléia vem trabalhando para melhorar cada vez mais educação do nosso município, temos feito um trabalho de apoio à todas as escolas, e quero ressaltar o compromisso do professor Carlos que fez

um ótimo trabalho. É motivo de orgulho ter um aluno da escola Socorro Frota representando Brasiléia na fase estadual, quero destacar a participação das outras escolas, que também alcançaram bons resultados com suas práticas pedagógicas, isso é motivo para comemorar", disse.

A realização das Olimpíadas de Língua Portuguesa é do Itaú Social e do Ministério da Educação, através do Programa Escrevendo o futuro. Confira na Integra a poesia feita pelo o estudante. Texto:

No lugar onde vivo, tem ruas e muitas casas, tem muitas sombras das árvores, tem pássaros que ficam lá, refrescando suas asas, sem ter hora pra voar.

Às noites têm as estrelas, que ficam a iluminar.

Cada uma tem um brilho,

Que nem brilho do luar.

Feitas pedras preciosas, que não param de brilhar.

Tem também Dona Maria, minha vizinha especial…

Brincadeiras com colegas, lá no fundo do quintal…

Um bueiro, um pé de manga, também marcam este local.

Tem um pé de açaí, os pássaros vivem lá.

Cada um no seu cantinho, sem ninguém, incomodar.

Êta cantinho feliz!

Como amo este lugar!

Bem defronte minha casa, tem uma praça afamada.

Cheia de ornamentação, visão privilegiada.

Parece uma estrela no céu, vive sempre iluminada!

Tem o Felipe, o Cezinha, tem a Alice também.

São, todos, meus amigos, são todos, gente de bem.

Amo muito este lugar, pois, lugar melhor não tem.

Tem um rio barrento, barrancos de arrepiar.

Piaba, piranha, pacu…Outros peixes moram lá…

Uma paisagem azul,

Que parece com o mar.

Às vezes quando estou triste, a mangueira é minha amiga.

E quando os pássaros cantam, alimentam-se de comida, eu abraço a minha mãe, e fico feliz da vida.

Os sorveteiros na rua, pessoas de todo lado.

Correm, caminham, conversam, e eu, todo admirado!

Com tanta coisa bonita!

Um paraíso encantado.

Aqui tem muitas coisas…

E não para de crescer.

Na escola que estudo, é lá que se aprende a ler.

Lá planto o meu futuro, para quando eu crescer.

Bem perto da minha escola, numa esquina abandonada, tem uma carroça velha, por alguém,

lá, foi jogada.

Ninguém sabe quem é o dono…

Dela, ninguém sabe nada.

Mas, é da igrejinha, o lugar que gosto mais.

Nela me sinto feliz, sei o bem que ela me faz.

Pois é bem perto de Deus, que encontro minha paz.

Meu lugar é Brasiléia,

Minha rua e meu lar,

Minhas árvores, meus pássaros, belezas iguais, não há.

E desse pedaço de chão,

Jamais, pretendo mudar.