Alunos que tiveram suas turmas de EJA fechadas pela Secretaria de Educação, que exige no mínimo 25 alunos por turma, ao invés de 15

Estes estudantes participante dessa modalidade de ensino, são centenas em distorção na idade escolar.

Diversas escolas que oferecem essa modalidade em Rio Branco, realizaram manifestação e repudiaram atitude tomada pela Secretaria de Estado de Educação.

Por volta das 19 horas desta terça-feira (20), alunos da escola João Paulo, localizada na Baixada da Sobral interditam a rua em frente ao Colégio. O movimento cobrava providências da SEE e que a situação seja revista.

“Várias escolas estão fechando as portas e deixarão de ofertar essa modalidade de ensino, deixando muitos alunos sem estudar e muitos professores desempregados” disse a estudante Maria Eduarda, uma das manifestantes.

O governo alega que não tem dinheiro, mas poderia cortar nos comissionados e deixa os professores, alega José Roberval, um dos estudantes do Colégio.

Em nota, a SEE confirma as demissões e o fechamento das salas e diz que o motivo é cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal, também alegam que estão concluindo levantamento para saber da quantidade de demandas que possam vir a ser reposicionado.

A secretaria afirma também que lamenta os transtornos gerados naturalmente por essa ação, mas reforça que é necessária para que o Estado não venha a ter prejuízos maiores em seu orçamento e a sofrer com as restrições previstas pela Lei.

Veja o vídeo: